SEMANA SANTA

Próximo da semana santa, valor do peixe tem reajuste de 10%

Os valores dos principais peixes procurados variam entre R$13 e R$34

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 05/04/2019 às 15:41
Foto: Guga Matos/JC Imagem
FOTO: Foto: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

A procura pelo peixe da semana santa já começou. Nos mercados públicos do Recife, são muitas as opções do produto para quem não dispensa a tradição católica. E os consumidores precisam estar preparados para alguns reajustes no preço do pescado que já chegam na próxima semana.

O quilo do peixe dourado que hoje custa R$25 vai subir para R$28 na próxima segunda (8). O quilo da cioba que está sendo vendido a R$30, deve ficar entre R$33 e R$34. O quilo do covina que hoje pode ser encontrado por R$13, também vai subir e o preço pode chegar a R$15. O atum e albacora que hoje custam R$20, devem chegar a R$24 o quilo. Um reajuste de aproximadamente 10%.

Quem chegou cedo no Mercado de São José, nesta sexta-feira (5), ficou surpreso com a novidade. “Eu sempre compro uma semana antes, em cima da hora porque eu trabalho e não tenho tempo. Quando chega no dia tem que fazer algo”, disse uma cliente.

Confira os detalhes na matéria de Thiago Barreto:

Já o bacalhau, que hoje está custando R$23, o quilo, pode chegar a R$25 na próxima semana. O comerciante Anderson Flávio foi esperto. Ele comprou todo o estoque da semana santa por um preço bem mais baixo. “Antes de chegar a quaresma compramos logo o Bacalhau porque sabemos que saída é muito grande”, disse o comerciante.

No entanto, também é preciso ter a atenção para escolher bem o peixe. A chefe do setor de alimentos da vigilância sanitária, Cristiane Gomes, dá algumas dicas na hora de comprar o produto. “O peixe deve está exposto com bastante gelo ou em um balcão refrigerado. Se o produto for industrializado, deve-se observar se o produto realmente está congelado como indicado na embalagem”, alertou.

Cristiane Gomes também chama a atenção para o tempo de validade do peixe fresco, vendido em mercados públicos e dos peixes congelados, vendidos em supermercados. “O peixe fresco tem uma durabilidade menor, então o consumidor deve fazer o preparo do produto para que não estrague porque ele está fresco, o produto congelado tem uma durabilidade maior, por isso o consumidor deve ficar alerta a data de validade”, finalizou.

Mais Lidas