PROTESTO

Estudantes da Faculdade de Odontologia da UPE denunciam insegurança no campus


O protesto é por conta da insegurança do campus de Camaragibe

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 11/04/2019 às 15:15
Foto: Reprodução / TV Jornal
FOTO: Foto: Reprodução / TV Jornal
Leitura:

Estudantes da Faculdade de Odontologia, ligada à Universidade de Pernambuco (UPE), realizaram um protesto nesta quinta-feira (11) por conta da insegurança no campus de Camaragibe. O ato foi realizado em frente à Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, no Bairro de Santo Amaro, área central do Recife.

Os alunos, que também contam com apoio de funcionários da instituição, exigem que sejam instalados postos de policiamento fixos no local. Eles reclamam que desde o ano passado enviaram seis ofícios à SDS, mas as medidas de segurança solicitadas não foram implementadas.
De acordo com estudantes, já foram registrados mais de 15 assaltos e dois homicídios próximos ao campus. Ainda segundo os alunos, já ocorreram perseguições e até troca de tiros dentro da universidade.

Confira os detalhes na matéria de Max Augusto:

A aluna do 7º período de odontologia, Luana Perez, foi uma das vítimas da violência enfrentada no local. “Eu e mais duas amigas já fomos vítimas quando estávamos indo buscar os nossos materiais no carro. Fomos abordadas por dois homens que chegaram mandando a gente descer do carro. A princípio nós não acreditamos até que eles mostraram a arma. Eles levaram o carro e todos os nossos materiais”, disse.

No final da manhã, os estudantes foram recebidos por representantes da SDS. Um dos alunos, Lucas Mendes, conta o que ficou acordado com o órgão de segurança. “A resposta do governo foi ter dois policiais fixos, rondas em horários específicos e a entrada do ônibus Tabatinga dentro da Universidade. Nós teremos dois policiais no período das 9h até às 17h”, informou.

O major Adalberto Barbosa, subcomandante do 20º Batalhão de Polícia Militar, fala o que será feito de imediato. “As rondas permanecerão mais tempo na área da faculdade. São os tempos que a gente tem programado. O posto policial não é uma solução viável, mas vamos escuta-los e se for plausível isso pode acontecer”, afirmou.

Suspensão das aulas

Por conta da onda de violência, a faculdade de odontologia suspendeu as aulas desde a última terça-feira (9).


Mais Lidas