ZONA SUL

Indiciado por importunação sexual, engenheiro agia perto de escolas


O engenheiro de 26 anos confessou o crime de importunação sexual, mas disse que está em tratamento

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 26/04/2019 às 6:13
Reprodução/Google Street View
FOTO: Reprodução/Google Street View
Leitura:

A Polícia Civil revelou que o engenheiro civil de 26 anos, denunciado nas redes sociais por importunação sexual, confessou o ato, mas disse estar em tratamento.

O caso veio à tona quando uma das vítimas fez uma postagem nas redes sociais com informações do suspeito. A abordagem ocorria em ruas próximas a colégios, inclusive, no bairro de Setúbal, na Zona Sul do Recife, quando as jovens voltavam para casa.

De acordo com a polícia, o engenheiro se masturbava dentro do veículo enquanto atraía a atenção das vítimas. Pelo menos cinco inquéritos foram concluídos e pelo crime de importunação sexual o suspeito pode ser condenado até cinco anos.

Confissão comprova crime

Alfredo Jorge, delegado de Boa Viagem, afirma que a materialidade do crime está comprovada com a confissão. “Ele foi ouvido na terça-feira na companhia de um advogado e confessou que realmente estava praticando os atos. Ele alegou que não intenção de manter relação sexual com nenhuma das vítimas e disse que estava fazendo isso apenas para se exibir”, detalhou.

De acordo com o delegado, as vítimas geralmente eram meninas que estavam saindo da aula. “Geralmente o horário que ele agia era entre 12h e às 14h, que era o horário que as garotas estavam saindo da escola ou indo. Na maioria dos casos, as vítimas ainda não tinham completado a maioridade. A gente conseguiu concluir cinco inquéritos policiais que vão seguir para a Justiça como o crime de importunação sexual”, concluiu o delegado.

Alfredo Jorge afirma que as vítimas do engenheiro civil ultrapassam esses cinco inquéritos, mas os outros casos aconteceram antes do crime de importunação sexual ser tipificado.

Ouça os detalhes:

[PUBLICIDADE]


Mais Lidas