FISCALIZAÇÃO

Aeroporto do Recife adota novas regras para bagagem de mão


Outros aeroportos também passam a adotar a fiscalização a partir desta quinta

Fellipe Leandro
Fellipe Leandro
Publicado em 02/05/2019 às 20:05
Marcelo Camargo/Agência Brasil
FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

Os aeroportos do Recife (Guararapes), Fortaleza (Pinto Martins), Belo Horizonte (Confins) e de Belém (Val-de-Cans) começam nesta quinta-feira (2) a adotar fiscalização rigorosa das bagagens de mão em voos domésticos, segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). Os aeroportos de Brasília (Juscelino Kubitschek), Natal (Aluízio Alves), Curitiba (Afonso Pena) e Campinas (Viracopos) adotaram medida semelhante desde 25 de abril.

De acordo com a Abear, o passageiro que estiver com a bagagem de mão fora das especificações de peso e tamanho definidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) - peso máximo de 10 quilos e dimensões de, no máximo, 55 centímetros (cm) de altura por 35 cm de largura e 25 cm de profundidade - terá obrigatoriamente que despachá-la no compartimento de malas do avião.

Em entrevista a Rádio Jornal, a gerente de Fiscalização do Procon de Pernambuco, Daniele Sena, explicou as mudanças nas regras da bagagem de mão.

“Não houve mudança. A resolução da Anac as dimensões das bagagens são as mesmas. Com a mudança e o fim da franquia de bagagem, as medidas e o peso passam a ser esse. A mudança que estava ocorrendo antes para agora e que iniciou hoje, a medida fiscalizatória no Recife, é referente ao local que se faz agora a triagem. Antigamente esses passageiros que levavam uma bagagem de mão, essa triagem que também são das malas, só era feita no portal de embarque. Então muitas vezes que se encontravam dentro do padrão da resolução, acabava que era despachado sem nenhum custo, para não haver atraso, a companhia aérea fazia o despacho sem custo para o passageiro. Agora estão fazendo a triagem no raio X", disse.

Transtornos

Sobre os transtornos causados com os vôos cancelado, Daniele Sena explicou que o Procon está fazendo uma fiscalização.

"A gente com uma operação de plantão no aeroporto monitorando isso. Estamos vendo as questões das realocações, orientar o consumidor se ele não tiver voos para o dia. A prioridade são as pessoas que estão com o voo para o dia. A gente pede para chegar quatro horas antes. Em algumas situações onde infelizmente a pessoa não consiga ser realocada porque não existe vaga de voo para o dia em outras companhias. A gente está fazendo toda uma fiscalização junto a Avianca para que ela cumpra o que diz a resolução", disse.


Mais Lidas