SAÚDE

No Recife, Dia D de vacinação contra a gripe contará com 170 postos


Apenas 100 mil pessoas do público prioritário foram vacinadas

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 03/05/2019 às 14:09
Arquivo/Agência Brasil
FOTO: Arquivo/Agência Brasil
Leitura:

Neste sábado (4) 170 postos de saúde e mais 22 volantes vão funcionar no Recife das 8h às 17h para atender à população e realizar a vacinação contra a gripe. No Recife, apenas 100 mil pessoas do público prioritário receberam a vacina, o que representa 25% desta população.

O Secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, reforça a necessidade de tomar a vacina. “É importante chamar as pessoas para comparecer aos postos de saúde. Tenho certeza que haverá um posto de saúde aberto perto de sua casa”, afirmou.

Entre as pessoas que fazem parte do público-alvo da campanha estão idosos, crianças com idade entre seis meses e seis anos, profissionais de saúde, professores, mulheres que tiveram filho há menos de 45 dias e grávidas, como a agente municipal Mayra Monteiro. Com quatro meses de gestação, ela sabe da importância de tomar a vacina. “Quero me proteger para evitar possíveis complicações em relação à gestação e a importância que a vacina traz de prevenir uma doença mais forte”, declarou.

[PUBLICIDADE]

Servidores públicos também fazem parte do grupo prioritário de imunização. Por isso, a servidora Ana Cristina, que trabalha em uma escola, também garantiu a dose. “Eu já peguei a gripe antes de tomar a vacina. Depois que eu tomei, eu não fiquei mais doente. E eu que trabalho com alunos pequenos preciso me precaver para não passar doenças para eles”, finalizou.

A dose da vacina é para proteger contra os três tipos de influenza: H1N1, H3N2 e o Tipo B. No estado, a meta é imunizar, no mínimo, 90% dos mais de 2.600.000 pernambucanos.

Confira os detalhes na matéria de Elis Martins:

Até o dia 13 de abril, foram notificados 894 casos de síndrome respiratória aguda grave, 790 das notificações em crianças menores de seis anos. Do total de casos, nove tiveram resultado laboratorial positivo para a influenza B, um para influenza A (H1N1) e uma para influenza A. No mesmo período de 2018, houve aumento de 144,3% nas notificações da síndrome respiratória aguda grave.

Este ano, uma morte foi confirmada para influenza A. Em fevereiro, um homem de 50 anos, morador de Petrolina. Um outro caso de H1N1 é investigado no Recife. O de uma estudante de 17 anos, que morreu em 29 de abril.


Mais Lidas