Governo Federal

Fernando Bezerra Coelho diz que reforma administrativa será aprovada


Senador pernambucano está à frente de relatório de medida provisória que reorganiza a administração do governo, com a recriação de dois ministérios

Priscila Miranda
Priscila Miranda
Publicado em 08/05/2019 às 11:17
Bobby Fabisak/ JC Imagem
FOTO: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Leitura:

Em entrevista a Geraldo Freire, no programa Passando a Limpo nesta quarta-feira (8), o líder do governo no senado e relator da medida provisória da Reforma Administrativa Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), disse que tem os votos necessários para a aprovação da matéria. O senador apresentou, na última terça-feira (7), seu relatório sobre a medida provisória 870/2019 que reorganiza a estrutura administrativa do governo. A medida foi a primeira editada pelo governo do presidente Jair Bolsonaro e altera ministérios e órgãos da Presidência da República, com a recriação dos ministérios da Integração Nacional e das Cidades.

“Temos votos para aprovar a reforma administrativa. É uma grande reforma, nós estamos reduzindo sete ministérios, reduzindo quase 20 mil cargos comissionados e funções gratificadas. O compromisso do enxugamento da máquina pública federal está sendo cumprido”, disse.

FBC revelou ainda o clima da reunião do presidente Jair Bolsonaro com governadores, ministros e parlamentares. O senador disse que espera criar um clima de harmonia em favor das reformas.

O líder do governo falou sobre os motivos para a recriação de ministérios. “Sem nenhuma dúvida, a razão para recriar é no sentido de atender a agenda dos municípios e as agendas dos estados em áreas muito sensíveis, que é a área do saneamento, a área de recursos hídricos, a área da defesa civil e, quando se juntou, criou muitas dificuldades”, afirmou.

Depois do acordo entre governo e congresso para recriação dos Ministérios das Cidades e da Integração Nacional, segundo informações de bastidores, a escolha do nome do novo ministro divide o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o PP, partido que lidera o bloco da maioria na Câmara. O nome que circula no Congresso Nacional para assumir a pasta das Cidades é o do atual secretário de Transportes de São Paulo, Alexandre Baldy. Ele já ocupou a pasta durante governo Temer, também por indicação de Maia. Porém, FBC nega que nomes já tenham sido definidos.

O parecer, caso aprovado na comissão mista, segue para votação no plenário da Câmara e, em seguida, no plenário do senado. O texto ainda pode ser alterado nessas etapas.

Confira a entrevista com FBC na íntegra:


Mais Lidas