LAVA JATO

Michel Temer se apresenta à Polícia Federal


O ex-presidente Michel Temer é acusado de crimes de corrupção relacionados à construção da Usina Nuclear Angra 3

Atualizado às 18h
Atualizado às 18h
Publicado em 09/05/2019 às 17:00
Antonio Cruz/ Agência Brasil
FOTO: Antonio Cruz/ Agência Brasil
Leitura:

O ex-presidente Michel Temer deixou sua residência às 14h40 para se apresentar voluntariamente à superintendência da Polícia Federal (PF) em São Paulo, no bairro da Lapa, zona oeste a cidade. Ele estava acompanhado do advogado Eduardo Carnelós. Ele já está na superintendência.

O desembargador federal Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal - 2ª Região (TRF2) decidiu que o ex-presidente Michel Temer e seu amigo João Baptista Lima Filho, conhecido como coronel Lima, devem ficar detidos em São Paulo. "A legislação recomenda, em regra, a manutenção do custodiado (definitiva ou provisória) em carceragem no local de seu domicílio", disse o desembargador em ofício encaminhado à Justiça Federal.

Mais cedo, a juíza Caroline Vieira Figueiredo, da 7ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, deu prazo até as 17h desta quinta-feira (9) para que o ex-presidente Temer se apresentasse espontaneamente à PF. A decisão também tinha validade para João Baptista Lima Filho, conhecido como coronel Lima.

Temer e o coronel Lima foram alvos da Operação Descontaminação, um dos desdobramentos da Lava Jato no Rio de Janeiro, que investiga desvios da ordem de R$ 1,8 bilhão nas obras da usina nuclear de Angra 3. No dia 21 de março, o juiz Marcelo Bretas, 7ª Vara Federal Criminal, acatou pedido do Ministério Público Federal (MPF) e decretou as prisões preventivas de ambos.

Prisão em março

Na ocasião, eles foram levados ao Rio de Janeiro, onde ficaram detidos por quatro dias, sendo libertados em 25 de março, conforme liminar concedida pelo desembargador Antonio Ivan Athié. Nesta quarta-feira (8), a Primeira Turma do TRF-2 derrubou essa liminar por 2 votos a 1. A posição de Athié foi vencida pelos votos dos desembargadores Abel Gomes e Paulo Espírito Santo.

A defesa do ex-presidente protocolou um pedido de habeas corpus no início da tarde e aguarda julgamento do STJ. No final da tarde de hoje, o STJ informou que o habeas corpus será julgado na próxima terça-feira (14), às 14h, pela 6ª Turma da Corte. O ministro Antônio Saldanha Palheiro será o relator.


Mais Lidas