TRANSTORNO

Comércio de ambulantes é alvo de críticas de passageiros do metrô


O Metrô do Recife transporta, por dia, cerca de 400 mil passageiros

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 13/05/2019 às 16:38
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Por dia, o Metrô do Recife recebe cerca de 400 mil passageiros. São 30 estações divididas entre as linhas centro e sul, abrangendo quatro cidades da Região Metropolitana. E em todas as estações o problema é o mesmo: comércio dos ambulantes.

Na estação do Barro, na Zona Oeste da capital pernambucana, as ofertas já começam logo na entrada do vagão. Os ambulantes vendem de tudo. Desde lanches, como pipoca, picolés e amendoim, até carregadores de telefone celular.

Em um vídeo que viralizou nas redes sociais, um rapaz vende até coentro dentro de um dos vagões, usando um carrinho de supermercado.

André Rodrigues trabalha há mais de 20 anos nas ruas e nas estações do metrô. Desempregado, ele conta que foi a maneira encontrada para sustentar a família.

Confira os detalhes na reportagem de Natlalia Hermosa:

Para muita gente que depende do metrô diariamente o comércio nas estações e vagões incomoda. O técnico de informática Eduardo Joaquim diz que o número de ambulantes atrapalha as viagens.

Resposta da CBTU

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou que o comércio ambulante é proibido por decreto lei, e que a fiscalização é realizada em parceria com a Polícia Militar.

Já a PM disse que a corporação está participando de reuniões com a CBTU para viabilizar a melhor forma de fiscalizar os ambulantes. Afirmou ainda que sempre que solicitada uma equipe vai às estações para resolver problemas pontuais.


Mais Lidas