EDUCAÇÃO

Estudantes prometem novo protesto a favor da educação dia 30 de maio


O primeiro ato aconteceu nesta quarta-feira (15)

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 16/05/2019 às 13:50
Felipe Ribeiro/JC Imagem
FOTO: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

Após as manifestações desta quarta-feira (15) em todo o país, a União Nacional dos Estudantes (UNE) anunciou um novo dia de protestos contra os cortes na educação daqui a duas semanas. Eles ocorrerão no próximo dia 30 de maio, uma quinta-feira. Marianna Dias, presidente da entidade disse que é preciso mostrar para Bolsonaro e para o Brasil a força dos estudantes e do povo.

Estudantes e professores de escolas e universidades públicas e particulares, além de movimentos sociais, protestaram contra os cortes nas verbas da educação promovidos pelo governo do presidente Jair Bolsonaro.

Em entrevista a Geraldo Freire, no Passando a Limpo desta quinta-feira (16), o economista e ex-secretário da fazenda de Pernambuco, Jorge Jatobá, falou sobre os verdadeiros números do corte na educação. “Esse fato é absolutamente corriqueiro na administração das finanças públicas. 2019 teve um orçamento de R$ 49.6 bilhões. R$ 6.9 bilhões são de despesas para funcionário”, afirmou.

Segundo as entidades, manifestações aconteceram nos 26 estados e no Distrito Federal, em diferentes proporções. Segundo a UNE, que convocou os atos, cerca de 1,5 milhão de pessoas foram aos protestos. Novas manifestações devem ocorrer no dia 30 de maio.

Confira os detalhes na matéria de Victor Tavares:

Enquanto os protestos aconteciam país afora, o ministro da educação, Abraham Weintraub, era sabatinado sobre os cortes no Plenário da Câmara dos Deputados, onde ele passou das 15h às 21h. Respondendo a perguntas de deputados, ele voltou a dizer que o governo tem como prioridade investir em educação básica e ensino técnico e alegou que não há corte, mas contingenciamento, de cerca de 30% na verba discricionária das universidades (em torno de 3,5% do total). O ministro afirmou diversas vezes que podem favorecer o descontingenciamento dos recursos a aprovação da reforma da previdência e a recuperação de valores desviados da Petrobras.


Mais Lidas