NOTIFICAÇÃO

SES confirma morte de bebê por coqueluche e reacende alerta da vacina

A coqueluche atinge principalmente crianças menores de dois anos e é causada por uma bactéria que compromete o aparelho respiratório

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 16/05/2019 às 12:59
Reprodução/ Internet
FOTO: Reprodução/ Internet
Leitura:

A morte de um bebê, de apenas seis meses, em Igarassu, na Região Metropolitana do Recife, por coqueluche reforça a importância da vacinação nas crianças. O óbito foi confirmado nesta quarta-feira (15) pela Secretaria de Saúde de Pernambuco, no entanto, aconteceu no ano passado.

A coqueluche é uma doença causada por uma bactéria que compromete o aparelho respiratório e atinge principalmente crianças menores de dois anos.

A infectologista pediatra Analíria Pimentel, explica como a doença pode ser transmitida. “É uma doença causada por uma bactéria. Pega pelo contato com a tosse e espirro (...) A criança de pequenininha, de seis meses, como foi esse caso, ainda não completaram a dose que a gente faz chamada penta. Por isso que a gente não gosta que criança pequena vá para shopping porque fica em confinamento e basta um espirro em cima de uma criança que não esteja com vacina, ou tenha tempo que ela fez a vacina há algum tempo, ela pode ter a doença”, alertou.

Até a última segunda-feira (13) foram 401 notificações, em Pernambuco, da doença, com 180 confirmações.

O gerente geral de Controle de Doenças Transmissíveis da Secretaria Estadual de Saúde, George Dimech, analisa o cenário da doença.

Confira os detalhes na reportagem de Elis:

Vacinação

A infectologista Analíria explica o cronograma de vacinação. Os recém-nascidos devem ser vacinados com a pentavalente que imuniza ainda a difteria, tétano e hepatite “B”.

Mais Lidas