VIOLÊNCIA

Laudo sobre agressão contra bebê morta pelos pais demorou quase 2 meses para sair


Inicialmente, apenas o pai havia sido preso pelas agressões e morte da bebê de apenas cinco meses, mas a polícia também pediu a prisão da mãe

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 22/05/2019 às 16:06
Reprodução/Rádio Jornal
FOTO: Reprodução/Rádio Jornal
Leitura:

O delegado Diogo Santiago apresentou, nesta quarta-feira (22), os detalhes da prisão do casal que matou a filha, de apenas cinco meses. Segundo a polícia, o pai e a mãe da criança estão sendo investigados em dois inquéritos, um pelas agressões contra a menina e o outro pelo assassinato.

De acordo com o delegado, a criança já tinha sido internada no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), no bairro da Boa Vista, na área central do Recife, em fevereiro. Na época, a mãe argumentou que a menina teria caído da cama. “Ela foi atendida no Imip, ficou internada pouco mais de um mês, ela [a mãe] foi encaminhada para o DPCA, onde foi feito o registro da ocorrência. A mãe apresentou a versão dela, dizendo que a criança teria caído três vezes”, detalhou.

Por conta da suspeita de agressão, a criança passou por um exame de corpo de delito ainda no mês de março, mas o resultado só saiu na última segunda-feira (20), mais de dois meses depois do pedido. Questionado se o crime poderia ter sido evitado caso o laudo tivesse saído no prazo normal de dez dias, o delegado disse que não tinha como responder.

Confira os detalhes no flash de Leonardo Baltar:

Relembre o caso

A pequena Débora Maria Sales da Silva deu entrada no Hospital Petronila Campos, em São lourenço da Mata, na última sexta-feira (17). Ela estava desacordada e com vários hematomas. A menina teria sido espancada dois dias antes, pelo pai que não aceitava o fato de ter tido uma menina e não um menino. A bebê chegou a ser socorrida para o Hospital da Restauração, no Recife, mas não resistiu.

Augusto Silva da Cruz, de 23 anos foi preso e encaminhado ao Centro de Observação e Triagem Everaldo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife.

A casa onde a mãe da bebê morava foi destruída por moradores, que atearam fogo no imóvel. O corpo de Débora Maria Sales da Silva foi enterrado no cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife, sob forte comoção, na segunda-feira (20). Apenas a mãe e alguns familiares do pai estavam presentes.


Mais Lidas