ASSASSINATO

Mulher é presa por esfaquear colega de curso por publicar vídeo na internet

O conteúdo do vídeo seria um aluno com síndrome down dançando brega

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 22/05/2019 às 13:02
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Depois de uma discussão por causa de uma publicação de um vídeo nas redes sociais, uma mulher foi presa em flagrante após matar uma colega que estudava na mesma instituição a facadas.

Elizânia Correia da Silva, de 39 anos, efetuou vários golpes de faca em Josenilda dos Santos, de 34 anos, estudavam no Projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA), no turno da noite. Segundo a polícia, o conteúdo do vídeo publicado era um outro aluno, com síndrome de down, de 23 anos, dançando.

De acordo com um estudante que não quis se identificar, o vídeo foi feito e publicado por Elizânia, a suspeita de cometer o crime. Ele conta que a família do aluno não gostou e foi tomar satisfações na escola. “Na sexta-feira, a menina pediu para o menino dançar brega, filmou e jogou na internet. Na segunda a mãe do aluno foi reclamar na instituição e na terça-feira foi na sala falar com todo mundo. Elizânia não foi para a aula no dia, mas a turma falou com ela pelo telefone. Quando a gente largou, ela estava escondida, esperando a gente largar e quando saímos da sala, ele meteu a facada na outra menina”, explicou a testemunha.

A vítima, Josenilda dos Santos, teria sido a pessoa que falou aos pais do rapaz sobre a publicação do vídeo. Após a saída da sala de aula, as duas envolvidas entraram em um confronto. Josenilda desferiu um golpe de estilete, mas acabou sendo esfaqueada duas vezes no tórax. Ela chegou a ser socorrida para o Hospital da Restauração, no Derby, Área Central do Recife, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Confira os detalhes na matéria de Cinthia Ferreira:

Elizânia foi presa momentos depois do crime. Ela foi levada para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e, no local, falou sobre o motivo da briga. “Tinha um rapaz com síndrome de down e eu filmei ele. O pai dele foi reclamar na escola, as meninas me avisaram que Elizânia estava fazendo fofoca de mim na diretoria. Eu pedi desculpa para a professora, para a diretora e quando eu saí, chamei ela, foi quando ela me golpeou”, disse Elizânia.

Mais Lidas