PARALISAÇÃO

Motoristas do Transporte Complementar realizam paralisação no Recife


O sindicato alega que os motoristas estão com duas quinzenas do salário atrasado

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 27/05/2019 às 11:29
Larissa Alves/JC
FOTO: Larissa Alves/JC
Leitura:

Motoristas do Transporte Complementar do Recife iniciaram, nesta segunda-feira (27), uma paralisação devido ao atraso no pagamento dos salários. Os motoristas e os veículos utilizados para realizar os transportes dos passageiros estão em frente ao Sindicato dos Permissionários do Transporte Público Complementar de Pernambuco (Sinpetracope) que afirma que o atraso já está perto de um mês.

São 18 linhas que aderiram à paralisação que afeta cerca de 50 mil pessoas. O Transporte Complementar é gratuito e atende a áreas de difícil acesso da capital, deixando os passageiros nos terminais integrados.

Manoel Dias, presidente do Sindicato do Transporte Complementar, explica o motivo da paralisação e se há alguma previsão de retorno das atividades. “Estamos com duas quinzenas do salário atrasado e a consequência disso foi o não pagamento dos motoristas e dos nossos fornecedores. Conversamos com o Grande Recife e eles disseram que não tinha recurso, mas nossa esperança é de que, ao longo do dia, as coisas se resolvam”, disse o presidente.

Segundo sindicato, enquanto o pagamento dos atrasados não for efetuado, a categoria, que possui 180 funcionários, vai manter a paralisação. Manoel Dias afirma ainda que os passageiros foram informados da paralisação. “A comunicação com os passageiros foi feita assim que houve a assembleia que decidiu a paralisação”, explicou.

Resposta do Grande Recife

Por meio de nota, o Grande Recife Consórcio de Transporte informou que, juntamente com a Prefeitura do Recife e o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE), está "enviando esforços para solucionar o problema".

Confira os detalhes na matéria de Lilian Fonseca:


Mais Lidas