RESSOCIALIZAÇÃO

Reincidência de jovens com passagem pela Funase cai 40% em 2018

A queda da taxa caiu pelo segundo ano consecutivo

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 27/05/2019 às 14:51
Divulgação
FOTO: Divulgação
Leitura:

O índice de reincidência em atos infracionais por jovens que passaram pela Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) caiu pelo segundo ano consecutivo. A taxa, que era de 61,84% em 2016, foi reduzida para 47% em 2017 e recuou ainda mais em 2018, chegando a 40%. O índice de reincidência em atos infracionais por jovens que passaram pela Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) caiu pelo segundo ano consecutivo. A taxa, que era de 61,84% em 2016, foi reduzida para 47% em 2017 e recuou ainda mais em 2018, chegando a 40%.

Os dados, que registram uma queda de mais de 20 pontos percentuais, estão no balanço anual da Funase, concluído recentemente. A presidente da Funase, Nadja Alencar, explica os fatores que têm influenciado na queda desses números. “O aspecto mais importante desses números é o fato de a gente está investindo mais na socioeducação, na profissionalização e na educação que é uma política de estado”, afirmou.

A reincidência é medida com base no número total de socioeducandos em um ano, por meio do cruzamento de informações sobre quantos já cumpriram medida socioeducativa antes. Na prática, o dado é importante por ser um termômetro da efetividade do atendimento socioeducativo.

Nadja Alencar também destaca a importância de preparar esses jovens para voltar a conviver em sociedade. “A gente procura fazer um trabalho que favorece aquele adolescente que queira participar, que queira fazer algo mais quando sair da Funase para que ele seja encaminhado para outros cursos ou ao primeiro emprego”, completou.

Confira os detalhes na matéria de Ivan Júnior:

Hoje em todo o estado de Pernambuco, cerca de 1.500 jovens são acolhidos na Funase na condição de semiliberdade, internação e internação provisória.

Mais Lidas