MEIO AMBIENTE

Após proibir uso de plástico, Noronha vai retirar carros movidos a combustível

A partir de 2030, apenas veículos movidos a energia elétrica vão poder circular em Fernando de Noronha

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 07/06/2019 às 18:20
Acervo JC Imagem
FOTO: Acervo JC Imagem
Leitura:

A Ilha de Fernando de Noronha será a primeira localidade do Brasil a banir os carros com motores à combustão. O governador Paulo Câmara assinou na quarta-feira (5) o decreto.

De acordo com o relatório do Instituto de Energia e Meio Ambiente (Iema), as emissões de gases de efeito estufa de carros e motos aumentaram 192%, no Brasil, durante as últimas duas décadas. A partir de 2030, apenas veículos movidos a energia elétrica vão poder circular na ilha.

O administrador de Fernando de Noronha, Guilherme Rocha, explica que a ação “Noronha Carbono Zero” faz parte de um plano de preservação da ilha, que teve início com a medida que proibiu o uso de plásticos no arquipélago.

Confira os detalhes na reportagem de Beatriz Albuquerque:

Substituição de veículos

O processo de substituição dos automóveis e motos movidos à gasolina, etanol e diesel, que hoje soma cerca de novecentos veículos, será realizado de forma gradual. Para estimular o uso de veículos não poluentes, a administração da lha de Fernando de Noronha vai liberar, a partir do dia 10 de junho, 130 autorizações para a compra de veículos elétricos, sendo 100 para pessoas físicas e 30 para pessoas jurídicas.

Guilherme detalha quem tem direito a entrada dos carros elétricos na ilha sem precisar pagar permuta. “Vamos abrir 100 vagas para essas pessoas que tem que ser moradoras permanentes, estar sem débitos nos setores de arrecadação e migratório”, disse.

Como incentivo, a administração da ilha irá custear o frete de navio, entre Recife e Fernando de Noronha. A estratégia é que nos próximos onze anos os carros não poluentes façam cada vez mais parte do dia a dia do arquipélago.

Mais Lidas