VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Suspeito de segurar vítima para ex-marido atear soda cáustica é preso


O ex-marido não aceitava o fim do relacionamento e por isso cometeu o ataque com soda cáustica contra a jovem de 19 anos

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 05/07/2019 às 14:30
TV Jornal
FOTO: TV Jornal
Leitura:

Um suspeito de ter participado da tentativa de feminicídio de uma atendente de lanchonete de 19 anos, no bairro de Nova Descoberta, na Zona Norte do Recife, foi preso por policiais civis nesta sexta-feira (5) e levado para a Delegacia da Mulher. O crime aconteceu nesta quinta-feira (4) e ele seria a pessoa responsável por segurar a vítima para que seu ex-marido jogasse soda cáustica em seu corpo.

Um outro suspeito de envolvimento no crime também foi detido. Eles estão sendo ouvidos na delegacia, que fica no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife. As identidades dos dois não foram reveladas.

Segundo as primeiras informações, Mayara Estefanny Araújo voltava do trabalho quando o ex-companheiro, um agente de saúde de 27 anos, teria abordado a vítima e jogado solda cáustica em seu rosto com a ajuda do suspeito que está detido.

Vizinhos prestaram socorro à mulher, que foi levada às pressas para o Hospital da Restauração.

Relembre o caso

Uma jovem de 19 anos sofreu queimaduras depois que um homem com a ajuda de um amigo jogou soda cáustica no rosto da vítima. O crime aconteceu na noite desta quinta-feira (5) na casa da mãe da vítima no bairro de Nova Descoberta, Zona Norte do Recife.

Ela caminhava por uma escadaria, no bairro de Nova Descoberta, por volta das 23h, quando foi surpreendida pelo ex-marido, um agente de saúde, de 27 anos, e por um amigo dele, frentista. Os dois jogaram uma substância corrosiva na jovem e fugiram. Desesperada, ela começou a gritar.

Vizinhos tentaram jogar água na vítima, para tentar aliar a dor e o queimor, que eram muito grandes. Ela foi colocada dentro de um carro de um morador da área e levada às pressas para o Hospital da Restauração. A vítima deu entrada ainda consciente, mas teve que ser entubada.

A jovem teve queimaduras de terceiro grau no rosto, pescoço, tórax, braços, abdômen e coxas. Parte do cabelo dela chegou a cair. No local, ainda foi possível encontrar o pote de sorvete, onde os suspeitos armazenaram hidróxido de sódio, mais conhecido como soda cáustica. Segundo o Hospital da Restauração, se misturada com água, a substância é mais corrosiva que ácido.

A vítima e o suspeito foram casados por quatro anos e têm um filho de dois. A irmã da jovem, que pediu para não ser identificada, explica que o suspeito já torturava a mulher além de submeter a criança a maus-tratos. “Ela chegava em casa com marcas. Ela já chegou com queimaduras. Passou-se um tempo, ela engravidou. E era espancada também. Quando meu sobrinho nasceu, ele prendeu meu sobrinho, dentro do quarto, de camisa com o ar-condicionado ligado, e chorando”, contou.

Ainda de acordo com a irmã da vítima, houve negligência por parte da polícia. “Ela foi em delegacia e nada mudou. Os policiais não fizeram nada, ninguém fez nada para mudar alguma coisa. Ela foi agredida na frente do trabalho dela por duas mulheres e um homem. Ela foi na Delegacia da Mulher e nada. Só com medida [protetiva], mas ninguém prende ele. Minha avó teve que viajar pro interior com medo que ele fizesse alguma coisa com a minha prima ou com minha irmã. Eu quero que ele seja preso, porque o que ele fez foi uma crueldade. Minha irmã é capaz de ficar cega por conta dele”, denunciou a mulher.


Mais Lidas