SOLUÇÕES

Após mais um detento morto, secretário fala em construção de presídios


Só este ano, sete detentos foram mortos em presídios de Pernambuco

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 09/07/2019 às 16:43
Leo Motta/ JC Imagem
FOTO: Leo Motta/ JC Imagem
Leitura:

Mais de quarenta mil pessoas. Esse é o número de presos, considerando todos os regimes, em Pernambuco, estado com maior superlotação carcerária do Brasil. O dado do Monitor da Violência alerta para uma crise no sistema penitenciário do estado.

De acordo com a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), só este ano, sete presos já foram mortos em unidades prisionais de Pernambuco. O secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, afirma que a questão é um problema nacional.

Questionado sobre as medidas propostas para solucionar o problema, o secretário cita a criação de novos presídios. “Nós estamos construindo sete presídios em Araçoiaba, os dois de Itaquitinga, um já funcionando, mais a área de segurança máxima do Presídio de Igarassu, um novo presídio em Palmares que estamos construindo, inauguramos há dois meses a cadeia pública de Garanhuns e vamos também iniciar a construção da unidade prisional de Caruaru”, destacou.

Confira os detalhes na reportagem de Beatriz Albuquerque:

Mortes na Barreto Campelo

Três dos sete casos de morte em penitenciárias de Pernambuco, aconteceram na Penitenciária Professor Barreto Campelo, em Itamaracá, no Grande Recife.

O secretário Pedro Eurico comenta o último caso, quando um homem foi baleado no abdômen, dentro da penitenciária.

A Secretaria Executiva de Ressocialização realizou a transferência dos presos envolvidos neste assassinato.


Mais Lidas