PRESOS

'Canibais de Garanhuns': TJPE aumenta pena dos três condenados


Aumento da pena para o trio que ficou conhecido como "canibais de Garanhuns" é referente ao assassinato de uma adolescente de 17 anos

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 18/07/2019 às 14:46
Hélia Scheppa/ Acervo JC Imagem
FOTO: Hélia Scheppa/ Acervo JC Imagem
Leitura:

Os desembargadores da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco acolheram um pedido do Ministério Público Estadual e decidiram de forma unânime aumentar as penas do trio conhecido como os “canibais de Garanhuns”, pelo assassinato de uma adolescente, em Olinda.

O Ministério Público de Pernambuco entrou com um recurso, diante das penas estabelecidas, em 2014, pelo júri popular que condenou o trio conhecido como “os canibais de Garanhuns”. A decisão da justiça é referente à condenação do grupo pelo assassinato, ocultação e vilipêndio do corpo da adolescente Jéssica Camila da Silva Pereira, de 17 anos. Vilipêndio é uma qualificadora, aplicada quando acontece algum tipo de desrespeito com o cadáver. O crime foi em 2008, em Olinda.

Confira os detalhes no flash de Marcela Maranhão:

Aumento das penas

Jorge Beltrão Negromonte da Silveira foi condenado a 21 anos e seis meses de reclusão (em regime fechado) + seis meses de detenção (em regime semi-aberto ou aberto). Agora, passa a cumprir 27 anos de prisão e um ano e meio de detenção. Jorge está preso na Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá.

Isabel Cristina Torreão Pires e Bruna Oliveira da Silva foram condenadas, cada uma, a 19 anos de prisão e um de detenção. Com o aumento das penas, passam a cumprir 24 anos de prisão e um de detenção. Isabel e Bruna estão presas na colônia penal feminina de Buíque, Agreste do estado.

Ainda segundo a promotora, os três condenados tinham total consciência dos crimes praticados.

Pena total

O tempo de prisão dos canibais vai ser ainda maior, já que eles foram condenados por mais dois assassinatos de mulheres, praticados em 2012. Com a soma das condenações, Jorge deve cumprir 98 anos de prisão; Isabel, 92 anos de prisão, mais um ano de detenção e Bruna, 95 anos de prisão. O trio ficou conhecido como “os canibais de Garanhuns” porque, além de assassinar, eles consumiam a carne das vítimas.


Mais Lidas