MOVIMENTO CULTURAL

Entenda o laço afetivo entre pais e filhos


Sylvio Ferreira conversou sobre o assunto com Marcelo Araújo no programa Movimento Cultural

Pedro Guilhermino Alves Neto
Pedro Guilhermino Alves Neto
Publicado em 25/07/2019 às 21:02
Reprodução/Internet
FOTO: Reprodução/Internet
Leitura:

Há algo na vida dos casais que é difícil de entender: os filhos crescem, constroem suas vidas, estabelecem novos laços afetivos, formam uniões conjugais, deixam a casa dos pais, montam suas casas, constituem família, etc. Ou seja, o convívio com os filhos, debaixo do mesmo teto, não é um acontecimento que dure para sempre.

Em geral, chegará um momento em que os pais passarão a se sentir sós e a lamentar a ausência do convívio diário com os filhos. Esses sentimentos se revelam ainda mais intensos quando acontece dos pais terem se separado e passaram a viver sozinhos.

Mergulhados na solidão e tristes pela falta do convívio diário com os filhos, sem que se apercebam, os pais estão sendo tragados pela síndrome do ninho vazio. Sylvio Ferreira conversou sobre o assunto com Marcelo Araújo.

Confira:


Mais Lidas