Violência contra mulher

Morre jovem que foi atingida por ácido pelo ex-companheiro no Recife


Ex-companheiro havia jogado ácido nela por não aceitar fim de relacionamento

Priscila Miranda
Priscila Miranda
Publicado em 26/07/2019 às 6:58
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

A atendente de lanchonete Mayara Estefanny Araújo, de 19 anos, que estava internada no Hospital da Restauração desde o início do mês, após ter sido vítima de um ataque com ácido sulfúrico jogado pelo ex-companheiro de 27 anos, morreu na noite desta quinta-feira (25). Ela foi vítima de queimaduras com a substância química, tendo 35% do corpo queimado.

A repórter Cinthia Ferreira esteve no Instituto de Medicina Legal (IML), para onde o corpo de Mayara foi levado. Confira:

O crime aconteceu no dia 4 de julho, no bairro de Nova Descoberta, Zona Norte do Recife, e o suspeito foi preso. Ele confessou à polícia que, com a ajuda de um amigo, jogou o material químico no rosto de Mayara. Segundo testemunhas, o casal teve um relacionamento de quatro anos e se separou recentemente, há cerca de três meses, mas o suspeito não aceitaria o fim da relação. Ele tem uma filha de dois anos com ela.

Familiares contaram que o suspeito, de 27 anos, sempre batia na esposa. Além disso, a justiça já tinha determinado uma medida protetiva contra ele, mas, por várias vezes, o homem teria descumprido a ordem judicial.

>> Queria 'dar um susto nela', diz suspeito de jogar ácido em ex-mulher
>> Preso suspeito de jogar substância química na ex-esposa no Recife
>> Preso suspeito de ter ajudado homem a jogar químico em rosto de ex-esposa

#UmaPorUma

A violência contra a mulher é constante e frequentemente acaba em tragédia. Existe uma história para contar por trás de cada feminicídio, em Pernambuco. O especial Uma por uma contou todas. Em 2018, o projeto mapeou onde as mataram, as motivações do crime, acompanharam a investigação e cobraram a punição dos culpados. Um banco de dados virtual, com os perfis de vítimas e agressores, além dos trágicos relatos que extrapolam a fotografia da cena do crime. Confira o especial Uma por Uma AQUI.


Mais Lidas