play_circle_outline
O Assunto é Futebol - 2° Tempo

Maciel Júnior

access_time

14:00

Rádio Livre

Anne Barreto e Rhaldney Santos

access_time

16:00

Balanço de Notícias

Wagner Gomes e Igor Maciel

play_circle_outline
O Assunto é Futebol - 2° Tempo

Maciel Júnior

access_time

14:00

Rádio Livre

Anne Barreto e Rhaldney Santos

access_time

16:00

Balanço de Notícias

Wagner Gomes e Igor Maciel

search close
Agosto

Historiador comenta fatos marcantes do mês de agosto

Para Leonardo Dantas, as curiosidades do mês não passam de mera coincidência

Eduardo Campos morreu em 2014 vítima de um acidente aéreo
Eduardo Campos morreu em 2014,  vítima de um acidente aéreo
Michele Souza/Acervo JC Imagem

O dia 13 de agosto se caracteriza por ter alguns fatos curiosos. Para os supersticiosos, é dia de ficar em casa e não fazer nada muito arriscado, de preferência com algum amuleto que possa quebrar qualquer tipo de azar que a data carrega. O historiador e jornalista Leonardo Dantas, em entrevista ao programa Passando a limpo desta terça-feira (13), analisou algumas curiosidades relacionadas à data. 

"O medo que justifica tudo isso é o desconhecido. E o desconhecido está presente em tudo, a começar pelo mês de agosto, que era considerado pelos romanos como um mês aziado, dado à azares. Agosto não tem só o dia 13, mas tem também o dia 24, que rememora a matança de São Bartolomeu, quando foram sacrificados milhares de reformados e protestantes nas ruas da França", disse.  

Segundo o professor, o medo é uma sensação inerente e inexplicável. 

"O medo não explica, você apenas sente. As pessoas tem medo de escuro, tem medo de fantasma, medo de passar por baixo de uma escada. Eu conheci umas antropólogas que chegaram ao Recife completamente agnósticas, e depois, se transformaram em mãe de santo. Tudo por conta do medo", afirmou.

Em Pernambuco, o dia 13 de agosto é marcado por ser a data em que faleceu dois ex-governadores. Há 5 anos, faleceu o então candidato à Presidente da República Eduardo Campos, vítima de um acidente aéreo na cidade de Santos, em São Paulo. Na mesma data, o seu avô, Miguel Arraes de Alencar, que também governou o Estado, faleceu há 14 anos, em decorrência de um choque séptico causado por infecção respiratória, agravada por insuficiência renal.  

Leonardo Dantas garante que os aspectos da história que aconteceram no mês de agosto, e também no dia 13, não passam de mera coincidência.

"Também teve coisas que aconteceram no dia 24 de agosto. Getúlio Vargas e Agamenon Magalhães morreram no dia 24. Isso é apenas coincidência", comentou.

Ouça a entrevista na íntegra:


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.