SAÚDE

Casos de arboviroses crescem e foco da SES segue na prevenção do Aedes

As arboviroses cresceram mais de 100% em Pernambuco, neste ano

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 15/08/2019 às 14:50
Alexandre Gondim/JC Imagem
FOTO: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Com a chegada do inverno, aumentam os períodos de chuvas e, também, os riscos de infestação do mosquito transmissor da dengue, chicungunha e zika vírus. O motivo é o acúmulo de água parada nas residências que, com os dias de sol, se transformam em criadouros do Aedes aegypti. Prova disso é que Pernambuco vem registrando uma alta no número de notificações dos casos suspeitos de arboviroses, de acordo com dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

O zika vírus é um dos que mais preocupa: já foram notificados 2.792 casos sob suspeita, entre 30 de dezembro do ano passado e a primeira semana de agosto deste ano. Os números representam um aumento de quase 200%, se comparado com o mesmo período do ano passado, quando foram notificados 934 casos. No caso da dengue, que já acumula mais de 41 mil casos suspeitos, o aumento é de 142%. Já a chicungunha, o aumento é de 127%, sendo 5.563 casos já notificados. Todos os casos são coletados pelos agentes de saúde de cada município, que disponibilizam os dados a SES.

De acordo com a gerente do Programa Estadual de Controle das Arboviroses, Claudenice Pontes, a região que apresenta mais números de notificações é o Sertão do estado.

A gerente ainda destaca que apesar de serem alarmantes, as notificações ajudam bastante a amenizar a infestação das arboviroses.

No entanto, os esforços seguem com o objetivo de prevenir as arboviroses. Segundo Claudenice Pontes, anulando a possibilidade de proliferação dos mosquitos, menor o risco de contrair dengue, chicungunha ou zyka.

Confira os detalhes na reportagem de Thiago Barreto:

Mais Lidas