PUNIÇÃO

Que ele pague pelo crime de homicídio, diz prima de estudante atropelada na Boa Vista


A estudante foi atropelada na calçada da Avenida Conde da Boa Vista no dia 16 de agosto e não resistiu aos ferimentos

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 23/08/2019 às 12:56
Reprodução/ Instagram
FOTO: Reprodução/ Instagram
Leitura:

Os familiares e amigos da estudante de odontologia Alessandra Tamyris Tristão Santosde 23 anos, que morreu atropelada há uma semana na Avenida Conde da Boa Vista, no bairro de mesmo nome, na área central do Recife, se reuniram nesta sexta-feira (23) no local do acidente para pedir punição para o responsável pela morte da universitária.

Ela estava procurando um vestido para a formatura quando foi atingida por um motociclista e não resistiu aos ferimentos. O motoqueiro responsável pelo crime, Marcos André Borges Ferreira, de 51 anos, se apresentou à polícia de Delitos de Trânsito na terça-feira (20). Ele foi ouvido e liberado porque livrou o flagrante.

Laura Tristão, prima da estudante, disse que testemunhas relataram um comportamento perigoso do motoqueiro antes do atropelamento. “Todas as testemunhas que estavam presentes disseram que ele vinha fazendo manobras arriscadas, em altíssima velocidade, ele simplesmente invadiu uma calçada e atropelou uma estudante”, contou. A gente quer que ele pague pelo crime de homicídio porque ele assumiu o risco de matar, ele vinha com toda a intenção, ele sabia que podia causar alguma coisa e mesmo assim, desde o Derby, ele vinha fazendo muita coisa”, completou.

Segundo Laura, a família e os amigos da estudante não querem que o caso seja lembrado como mais um delito de trânsito. “A gente está aqui como um pedido de justiça para que ele pague pelo crime de homicídio e não como mais um delito de trânsito (...) Nenhuma dor vai trazer Tamyris de volta, mas ele vai pagar pelo que ele fez”, finalizou.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

O acidente

A estudante Alessandra Tamyris Tristão Santos, de 23 anos, estava prestes a se formar em odontologia. O sonho dela foi interrompido na última sexta-feira (16), após ser atropelada por um motociclista. A vítima estava na calçada. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu.

O motociclista fugiu do local sem prestar socorro. Testemunhas disseram que ele estaria embriagado. Alguns relataram que ele vinha fazendo manobras imprudentes e em alta velocidade desde o bairro do Derby. Quando invadiu a calçada, o motociclista ainda atingiu uma gestante, que foi atendida no local e passa bem.

Alessandra não teve a mesma sorte. Ela foi arremessada com o impacto. O corpo da estudante foi sepultado no último sábado (17), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista.


Mais Lidas