play_circle_outline
Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

access_time

02:40

Super Manhã / Passando a limpo

Geraldo Freire

access_time

03:20

Consultório do Rádio Livre

Anne Barretto

play_circle_outline
Debate da Super Manhã

Geraldo Freire

access_time

02:40

Super Manhã / Passando a limpo

Geraldo Freire

access_time

03:20

Consultório do Rádio Livre

Anne Barretto

search close
AJUDA

Crianças com microcefalia sofrem sem leite oferecido pela Prefeitura de Olinda

Ao todo, 27 crianças com microcefalia com idades entre 3 e 4 anos que estão sendo prejudicadas

Crianças com microcefalia sofrem sem leite oferecido pela Prefeitura de Olinda
São 27 crianças com microcefalia com idade entre 3 e 4 anos - Foto: Reprodução/TV Jornal

Mães de bebês com microcefalia denunciaram a Prefeitura de Olinda pela falta de assistência aos filhos. Segundo elas, há seis meses, a prefeitura da cidade não está fornecendo suplementos para as crianças e transporte para sessões de terapia.

São 27 crianças com microcefalia com idades entre 3 e 4 anos. Elas precisam de um leite chamado fortini, que está em falta há seis meses. Na farmácia, a lata custa cerca de R$ 50 e, pelo menos, dez são consumidas num mês. Um custo que nem todas as famílias podem pagar.

A Prefeitura de Olinda é responsável pela compra e distribuição, no entanto, a administração parou de comprar o produto. Segundo a prefeitura, houve um problema no processo de licitação.

A dona de casa Jaqueline Vieira é mãe de Daniel, de 3 anos, e durante esses meses ela está se desdobrando para comprar o leite. “A gente precisa manter os nossos filhos vivos à base desse leite e se a gente não tem corre o risco de uma criança dessa pegar alguma infecção porque fica dando um outro tipo de leite que não é apropriado”, denunciou.

Sem transporte

As mães que cobram da prefeitura recebem pouco mais de R$ 998 por mês. A também dona de casa Aline Ingrid, mãe de Thales, de 3 anos, explica que o menino precisa fazer terapia ocupacional pelo menos uma vez por semana. O tratamento gratuito é realizado em uma unidade de saúde na Zona Oeste do Recife.

A Prefeitura de Olinda deveria oferecer o transporte para a criança ir até o local, no entanto, não está ofertando o serviço. “Fica muito difícil mesmo (...) Muitas mães desistiram porque é muito distante”, afirmou.

O prefeito Professor Lupércio chamou todas as mães para uma reunião e se comprometeu a solucionar as questões.

Resposta

Em nota, a Prefeitura de Olinda reforçou que está analisando a melhor solução para o transporte das crianças. Sobre o leite, a prefeitura disse que vai fazer uma compra emergencial até a próxima sexta-feira (13).


COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.