Pernambuco registra queda de 21,8% nos casos de homicídios

Os números contabilizados são dos primeiros oito meses desse ano, em comparação ao mesmo período do ano passado

SEGURANÇA
Pernambuco registra queda de 21,8% nos casos de homicídios

Antônio de Pádua - Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Rádio Jornal

O Secretário da SDS (Secretaria de Defesa Social), Antônio de Pádua, em entrevista nesta segunda-feira (16), ao programa Balanço de Notícias da Rádio Jornal, comentou  sobre a queda no número de homicídios, no estado de Pernambuco. Os dados  mostram uma redução de 21,8% nos casos de crimes contra a vida, nos oito primeiros meses desse ano. Esse é o vigésimo primeiro mês em que o estado vem conseguindo manter esse percentual em decréscimo.  

Segundo Antônio de Pádua, as medidas de segurança que vem sendo tomadas desde 2017, demonstram uma consolidação na redução da  violência. "Em 2018, Pernambuco foi o segundo estado que mais reduziu a criminalidade, comparando-se aos demais estados. E agora, em 2019, essa redução continua. Mostrando que esse ano teremos uma redução ainda maior que ano passado. Quando a gente compara com os mesmos oito meses de 2018, nós já temos menos 634 homicídios do que tivemos no mesmo espaço de tempo de 2018", apontou.  

Em relação ao investimento em segurança, onde os estados do nordeste lutam  - perante o governo federal - em buscam de mais recursos, o secretário afirmou que o custo para manter as ações de segurança gira na casa dos bilhões de reais. Entre as atividades financiadas estão premiações a policiais por atingirem as metas,  combustível das viaturas, pagamentos de salários e manutenção de delegacias. 

"Pernambuco, por exemplo, esse ano tem uma expectativa de investir 5 bilhões de reais. Isso é bastante dinheiro. Não só a nossa demanda com o governo federal, não só dos estados do nordeste, mas o Brasil como um todo.  Em 2018  foi criado o Fundo Nacional de Segurança. E esse fundo prevê que no primeiro ano, que seria agora em 2019, seria liberado algo em torno de 1.2 bilhões de reais. Só que o governo federal contingenciou esse valor. Ou seja, ele disse que só podia liberar 500 milhões de reais. Desse dinheiro, 250 milhões fica com o próprio governo federal para custeio da Secretaria Nacional de Segurança Pública ou a Força Nacional. Os outros 250 milhões são distribuídos entre os 27 estados brasileiros. Pra Pernambuco chegará algo em torno de 10 milhões de reais para custear a segurança", revelou. 

Ouça a entrevista na íntegra 

 

Antônio de Pádua pontuou que Pernambuco é considerado um dos estados mais transparentes na divulgação de dados sobre a violência.  "Pernambuco fez sim o dever de casa. Hoje nós trabalhamos com micro dados. Nós temos informações que possibilitam dizer que a motivação do crime no sertão é maior quando se considera a causa crime de conflito na  comunidade. Enquanto na região metropolitana, no agreste e na zona da mata, a causa maior das mortes é o tráfico de drogas. Eu tenho que  trabalhar diferente esses dados pra poder atacar o que é preciso. Porque o dinheiro público é  finito. Os recursos tem que ser bem aplicados pra gente poder conseguir o máximo de resultado possível", finalizou. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.