POLÍTICA

''A PF está fora de controle?'', perguntou Bolsonaro a Moro


De acordo com jornalista, pergunta veio após operação da PF contra o líder de governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 19/09/2019 às 21:46
Foto: Divulgação/Palácio do Planalto
FOTO: Foto: Divulgação/Palácio do Planalto
Leitura:

Em encontro com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, o presidente Jair Bolsonaro, segundo o jornalista Tales Farias, do UOL, perguntou se a Polícia Federal (PF) estava fora de controle ao mirar o líder de governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, nesta quinta-feira (19).

"A PF tinha razão para a busca e apreensão ou está fora de controle?", teria questionado o presidente.

De acordo com o jornalista, o presidente e seus auxiliares suspeitam que a ação da PF contra o senador tenha sido uma ação contra seu governo. Moro negou que tenha perdido o controle do órgão, mas segundo Tales Farias, seus argumentos ainda não convenceram os articuladores políticos do Palácio do Planalto.

Resposta do Ministério da Justiça

A assessoria de imprensa do Ministério da Justiça e Segurança Pública enviou ao blog de Tales Farias a seguinte nota em resposta: "O Ministro Sérgio Moro nega que tenha tido qualquer conversa com esse teor com o Presidente da República".

Operação da PF contra FBC

Na manhã desta quinta-feira (19), a Polícia Federal realizou buscas no gabinete de Bezerra e em seu apartamento em Brasília. O gabinete do deputado Fernando Filho (DEM-PE), filho do senador, também foi alvo de buscas, assim como endereços em Pernambuco ligados aos dois.

As ações fazem parte da Operação Desintegração, desdobramento da Operação Turbulência, e foram autorizadas pelo ministro do Supremo Tribunal federal (STF) Luís Roberto Barroso. A PF apura um suposto esquema de propinas pagas por empreiteiras que executaram obras custeadas com recursos públicos e que, supostamente, beneficiaram os parlamentares.

Cargo à disposição

Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), anunciou que colocou o cargo à disposição. Ele disse que quer deixar o presidente da República, Jair Bolsonaro, à vontade para decidir sobre a permanência dele na função.

"Eu já conversei, pela manhã, com o presidente [do Senado] Davi Alcolumbre e com o ministro da Casa Civil da Presidência da República, o ministro Onyx [Lorenzoni]. E tomei a inciativa de colocar à disposição o cargo de líder do governo, para que o governo possa, ao longo dos próximos dias, fazer uma avaliação se não seria o momento de proceder a uma nova escolha, ou não", disse.


Mais Lidas