UFRPE decide não aderir ao "Future-se", programa do governo Bolsonaro

Outras duas universidades federais do Estado, UFPE e Univasf, já haviam rejeitado o Future-se

EDUCAçãO
UFRPE decide não aderir ao

O "Future-se" é um programa de adesão voluntária - Foto: Foto: Edmar Melo/Acervo JC Imagem

A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) decidiu não aderir ao programa "Future-se", do Ministério da Educação. A medida foi adotada pelos três conselhos superiores da UFRPE, durante reunião realizada nessa segunda-feira (14). O encontro contou com cerca de 100 pessoas e o debate foi em torno do documento “Análises e reflexões sobre o programa future-se, do MEC”, elaborado por uma comissão após análise do programa.

O future-se foi lançado pelo ministério da educação em julho deste ano. De acordo como o MEC, o programa visa reestruturar o financiamento do ensino superior público autorizando as instituições firmar parcerias público-privadas, criar fundos com doações, ceder prédios e até mesmo vender nomes para edifícios.

Com a proposta, a administração financeira e o ensino das universidades fica a cargo de organizações sociais. O programa será de adesão voluntária.

Érika Suruagy, presidente da associação dos docentes da UFRPE, Aduferpe, ressalta que aderir ao programa pode interferir nas pesquisas científicas e até na contratação de servidores sem concurso público. Confira na reportagem de Lucas Rocha.

Ouça:

Outras federais

Outras instituições do Estado também rejeitaram o programa. A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) foi a primeira instituição de ensino superior de Pernambuco a se manifestar contra o "Future-se". A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), por meio do Conselho Universitário, também se manifestou contrária ao programa.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.