MOBILIZAÇÃO

Equipes se mobilizam para conter óleo em São José da Coroa Grande

Órgãos ambientais e governamentais, além de voluntários, estão atuando em conjunto para recolher o óleo da praia

Publicado em 18/10/2019 às 11:05
Bruno Campos/JC Imagem
FOTO: Bruno Campos/JC Imagem
Leitura:

O início da manhã desta sexta-feira (18) foi de muito trabalho no município de São José da Coroa Grande, no litoral sul de Pernambuco. Soldados da Marinha, membros da Defesa Civil do município e voluntários estão na orla da cidade fazendo a retirada de manchas de óleo, principalmente na foz dos dois rios que cortam a cidade, o Rio Pirassununga e o Rio Una. São José da Coroa Grande faz divisa com Alagoas.

Na quinta-feira foi montado um gabinete de crise na sede da prefeitura da cidade. Órgãos ambientais como o Ibama e Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), a Defesa Civil do município, do Estado, além da própria prefeitura e a Marinha traçaram as primeiras ações que devem ser feitas na cidade para diminuir os danos causados pela mancha e evitar um desastre ambiental.

Uma das primeiras ações aconteceu nesta madrugada, quando diversas bóias e mantas de absorção foram colocadas na foz dos rios Pirassununga, que faz divisa com a cidade de Peroba, em Alagoas, e no Rio Una, que possui uma reserva biológica, considerada área de preservação ambiental de Pernambuco. A proteção é para o estuário do manguezal dessas áreas, que mesmo com as barreiras, acabaram sendo atingidos pelo óleo.

De acordo com o Secretário de Meio Ambiente do município, o trabalho durante a madrugada foi intensivo para conter as manchas de óleo. “A partir de ontem começou mesmo todo o trabalho, porque fizemos contenções de várias manchas de óleo na divisa de Alagoas com Pernambuco. Enchemos o material cedido pela Petrobras e pela Transpetro. Foi uma ajuda que fizemos com eles e que contribuíram também para nosso meio ambiente, pois são dois municípios”, explicou.

Na quinta-feira, foram retirados das águas mais de uma tonelada do produto que estão sendo armazenados em tonéis disponibilizados por empresários da região. Diante de dessa situação, o prefeito da cidade, Peu Lages, decretou estado de emergência no município. Ele explica quais são as atividades previstas para acontecer nesta sexta.

“Estamos mobilizando o pessoal da Capitania dos Portos, Fuzileiro Naval, CPRH, pessoal da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Estamos aguardando para dar início a remoção dos resíduos que se encontra na praia. Como hoje a praia está cheia, nesse momento estamos preparando para logo mais retirar todos os resíduos que ficaram na beira mar”, disse.

Segundo o prefeito, também existe uma preocupação em relação à economia, já que 70% do orçamento da cidade é movido pelo turismo e pela pesca. “O prejuízo é imenso e incalculável, porque a partir do momento que essas manchas apareceram, outros pescadores da embarcação tiveram que retornar. Já no turismo, mesmo antes da gente ter sido atingidos, o pessoal já estava cancelando as reservas nas pousadas”, lamentou o prefeito.

Confira a reportagem de Mário Oliveira:

Mais Lidas