SUS

Pernambuco ganhará ambulatório para tratamento de doença rara


A amiloidose é uma doença na qual uma proteína amilóide anormal se acumula nos tecidos danificando-os e interferindo no funcionamento do órgão atingido

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 06/11/2019 às 16:43
cosmin4000/Thinkstock
FOTO: cosmin4000/Thinkstock
Leitura:

Nesta quinta-feira (7), o Centro de Referência em Doenças Raras de Pernambuco (Rarus) vai inaugurar o ambulatório de amiloidoses hereditárias, o atendimento é realizado pelo SUS. Segundo a neurologista Anna Paula Paranhos, essa doença rara afeta principalmente os nervos e o coração. No entanto, pode afetar outros sistemas como os olhos.

Além da nova função, o Rarus conta com atendimento de neurologista, cardiologista, geneticista, neuropediatra, gastropediatra, fisioterapeuta e outros serviços. A neurologista atenta para a importância da variedade de profissionais no acompanhamento dos pacientes.

Estima-se que 4% da população mundial tenha algum tipo de doença rara. O número pode parecer pequeno, mas, na realidade, essa porcentagem representa cerca de 300 milhões de pessoas ao redor do mundo. O dado é do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica da França (Inserm).

Segundo a pesquisa da Interfarma no Brasil, cerca de 13 milhões de pessoas têm algum tipo de doença rara no país. As pesquisas e serviços que atendem essa população são poucos, o que dificulta o diagnóstico. Aqui no Recife, o Rarus realiza o atendimento especializado desde o ano passado.

O ambulatório de amiloidoses hereditárias vai ser coordenado pela neurologista Anna Paula Paranhos e pela cardiologista Andrea Chaves. O Rarus fica na Rua Jener de Souza, número 629, no bairro do Derby, na área central do Recife. O telefone para contato é o 3097 – 2893.


Mais Lidas