Estudantes do Recife criam projeto para combater fake news das vacinas

Estudantes ficaram incomodados com a informação de que as fake news estavam interferindo na cobertura vacinal

SAÚDE
Estudantes do Recife criam projeto para combater fake news das vacinas

O trabalho vai ser apresentado na Feira de Conhecimentos do Recife (Fecon) - Foto: Divulgação/ PCR

Acompanhar nos noticiários que a cobertura das vacinas estava em queda causou incômodo em uma turma da Escola Municipal Octávio Meira Lins, no bairro do Vasco da Gama, Zona Norte do Recife. Eles notaram que muita gente não estava se protegendo por causa de notícias falsas. Os estudantes tiveram a ideia de montar um grupo de pesquisa para conscientizar sobre a importância da vacinação.

A orientação ficou por conta da professora de geografia Maria Ana Paula Freire, que se surpreendeu com a curiosidade dos alunos. A equipe iniciou uma pesquisa com o tema "Vacinar ou não vacinar? Os efeitos colaterais do século 21".

A ideia partiu do estudante Pedro Soares, de 14 anos. Ele comenta que a pesquisa já tem colhido bons resultados. “Eu formei uma equipe com meus amigos e criei o projeto para combater as fake news e mostrar a verdade sobre a vacina”, disse.

Durante a pesquisa, a equipe aplicou um questionário na comunidade Alto Nossa Senhora de Fátima, no Vasco da Gama. O resultado comprovou o que eles já imaginavam: mais da metade dos entrevistados se mostraram influenciados por notícias falsas.  

Informações 

Para que as pessoas possam se informar sobre a importância da vacinação, os alunos montaram o que chamam de “plano de guerra" no combate às notícias falsas. Para ter acesso, basta entrar no site: vacinabrasil.rf.gd. O plano detalha as ações do trio e faz um levantamento das principais notícias falsas envolvendo o assunto. O trabalho vai ser apresentado na Feira de Conhecimentos do Recife (Fecon), que acontece entre os dias 11 e 13 de novembro.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.