Festival Recife do Teatro Nacional exalta autores nordestinos

A 21ª edição do Festival Recife do Teatro Nacional começa neste sábado (16) e segue até o dia 24 de novembro

CULTURA
Festival Recife do Teatro Nacional exalta autores nordestinos

21º Festival Recife do Teatro Nacional segue até o dia 24 de novembro - Foto: Tati Motta/divulgação

A 21ª edição do Festival Recife do Teatro Nacional tem como tema “A Resistência da Arte Nordestina e a Arte Nordestina de Resistir”. O evento começa neste sábado (16) e segue até o dia 24 de novembro. Ao todo, vão ser apresentados doze espetáculos, entre produções nacionais e pernambucanas, em vários locais da cidade.

O diretor de teatro e coordenador do festival, Romildo Moreira, conta que o evento contempla diferentes gêneros das produções cênicas, mas que, desta vez, a programação vai ter um destaque especial para a contribuição nordestina ao teatro brasileiro.

Para abrir a programação de espetáculos, o evento presta homenagem a um dos principais representantes da cultura nordestina, o cavaleiro armorial Ariano Suassuna. Segundo Romildo Moreira, nos dias 23 e 24 uma montagem da peça o Alto da Compadecida será encenada com uma nova vesão. “São cariocas que estão fazendo uma visita à obra de Ariano Suassuna. E mais nordestino do que Ariano, impossível”, disse.

Além de Ariano, a atriz Lúcia Machado também vai ser uma das homenageadas. Com diversos serviços prestados ao teatro recifense, Lúcia foi integrante e uma das fundadoras da Companhia Teatro de Seraphim. O coordenador do festival fala sobre a importância da homenagem. “Ela além de ser atriz, ela foi gestora pública, coordenadora de cursos de teatro (...) E ela tem também, como atriz, uma participação fundamental na encenação do teatro do Recife”, destacou. 

A 21ª edição do Festival Recife do Teatro Nacional, é uma realização da prefeitura do recife, por meio da secretaria de cultura e da fundação de cultura cidade do recife.

Os ingressos serão vendidos nas bilheterias dos teatros, por R$ 20 (R$ 10 meia entrada).

Confira a programação:

ARIANO – O CAVALEIRO SERTANEJO 

Companhia Os Ciclomáticos (RJ) 

Dias 16 e 17 

Teatro Luiz Mendonça, às 20h

O espetáculo, em comemoração aos 22 anos de existência da Companhia Os Ciclomáticos, é uma viagem nas vivências populares tão presentes na obra de Ariano Suassuna, tais como: o cancioneiro, o sertanejo, o repente, o forró, o movimento armorial, o mamulengo, prestando assim uma homenagem à cultura popular nordestina.

Texto e direção: Ribamar Ribeiro

Elenco: Carla Meirelles, Getúlio Nascimento, Julio Cesar, Nívea Nascimento, Renato Neves e Fabíola Rodrigues.

Músicas: Getúlio Nascimento

Cenografia: Getúlio Nascimento e Cachalote Mattos

Iluminação: Mauro Carvalho. 

Sonoplastia: Getúlio Nascimento e Ribamar Ribeiro

Fotos: Zayra Lisboa

OPÁ, UMA MISSÃO 

Duas Companhias (PE)

Dia 17, às 18h 

Teatro Hermilo Borba Filho

O monólogo interpretado por Lívia Falcão traz à cena a Palhaça Zanoia, uma benzedeira antiga, que recebeu de suas antepassadas a missão de rir de si mesma nas “sete direções”: Leste, Oeste, Norte, Sul, Acima, Abaixo e Dentro. Cumprindo essa missão, Zanoia encontrará a dádiva-diamante escondida em seu corpo. 

Dramaturgia e roteiro: Silvia Goes

 Fragmentos de textos das peças: “Caetana”, “Esse Estranho Desejo” e “Divinas” 

Provocação artística e direção em Palhaçaria: Andréa Macera 

Desenho e operação de luz: Natalie Revoredo 

Operação de som: Hugo Coutinho 

Figurino e maquiagem: Fabiana Pirro e Lívia Falcão 

Desenho do cenário: Nara Menezes / Confecção: Mário Almeida 

Documentário em construção: Déa Ferraz

MAR DE FITAS NAU DE ILUSÃO 

Grupo Imbuaça Produções Artísticas (SE)

Dia 19, às 20h

Teatro Luiz Mendonça 

Celebração à cultura popular e à arte que emana das ruas, o espetáculo usa conto, canto e dança para apresentar a trajetória estética e histórica do Grupo até os dias atuais, evocando mestres, dramaturgos, personagens, diretores, brincantes e todo mundo que contribuiu com os quarenta e dois anos de existência do grupo.

Roteiro e direção geral: Iradilson Bispo 

Elenco: Humberto Barreto, Amadeu Pereira, Iradilson Bispo, Lindolfo Amaral, Lidhiane Lima, Manoel Cerqueira, Priscila Capricce, Rosi Moura e Talita Calixto

Direção musical: Humberto Barreto

Direção de arte: Iradilson Bispo

Operação de som: Fábio Eduardo

Contrarregragem: Ari Pereira e Rogers Nascimento 

Coordenação geral: Lindolfo Amaral

A PELEJA DE LEANDRO NA TRILHA DO CORDEL

Grupo Imbuaça Produções Artísticas (SE)

Dia 20, às 20h

Teatro Luiz Mendonça

O espetáculo mistura ficção e realidade para narrar a vida de um dos inventores da literatura de cordel, o poeta paraibano Leandro Gomes de Barros. A encenação, suave e brincante, conta a história do cordelista, misturada com as muitas histórias que ele criou.

Dramaturgia: Iradilson Bispo, Lindolfo Amaral e Manoel Cerqueira

Direção: José Ros

Elenco: Carlos Wilker, Amadeu Pereira, Lindolfo Amaral, Iradilson Bispo, Humberto Barreto, Lidhiane Lima, Manoel Cerqueira, Rosi Moura e Talita Calixto

Cenografia, coreografia e designer: Iradilson Bispo

Figurino: Adereços e maquiagem: José Rosa

Técnico de som: Cristiano Andrade

Produção executiva: Lindolfo Amaral

CARTAS

Coletivo Caverna (PE)

Dia 20, às 19h 

Teatro Hermilo Borba Filho

Unindo correspondências trocadas entre dois intelectuais brasileiros, Hermilo Borba Filho e Osman Lins, no período de 1965 a 1976, a peça retrata a tessitura poética e imagética do livro “Guerra sem Testemunhas”, assim como referências a outras obras de Osman Lins. Revela angústias sobre mercado editorial, questões sociais e de trabalho, partilhadas entre os dois amigos, nas constantes cartas que trocavam.

Direção: Luiz Manuel 

Elenco: Fabiana Pirro, Cláudio Lira e Paulo de Pontes 

Assistente de direção: Gabriel de Godoy 

Iluminação: João Guilherme 

Trilha sonora: Alexandre Salomão

Edição de vídeo: Gabriel de Godoy 

Figurino: Giselle Cribari 

Cenografia: Coletivo Caverna

PÁ(IDEIA) – PEDAGOGIA DA LIBERTAÇÃO 

Coletivo Grão Comum (PE) 

Dia 21, às 19h 

Teatro Hermilo Borba Filho 

A obra retrata a prisão e o interrogatório do mais notório educador de todos os tempos no Brasil, unindo os temas da educação e das filosofias pedagógicas vivenciadas na Pedagogia da Libertação criada pelo educador Paulo Freire.

Texto e direção: Júnior Aguiar 

Elenco: Daniel Barros e Júnior Aguiar

Operação de áudio e luz: Moacir Lago 

Vídeo: Ricardo Maciel 

Maquiagem: Luana Barbosa

Identidade visual: Arthur Canavarro

Fotos: Rogério Alves, Amanda Pietra e Diego di Niglio

APENAS O FIM DO MUNDO

Grupo Magiluth (PE)

Dia 22, às 20h

Teatro Luiz Mendonça

A mais recente criação do Grupo Magiluth apresenta um homem, ausente há bastante tempo, que retorna à casa da família para dar a notícia de sua morte próxima. O reencontro se dá em um domingo, ou ainda, ao longo de quase um ano inteiro.

Dramaturgia: Jean-Luc Lagarce / Tradução: Giovana Soar

Direção: Giovana Soar e Luiz Fernando Marques Lubi

Elenco: Bruno Parmera, Erivaldo Oliveira, Giordano Castro, Mário Sergio Cabral e Pedro Vagner

Desenho de luz: Grupo Magiluth

Direção de arte e design gráfico: Guilherme Luige

TRILOGIA DO FEMINICÍDIO

Criativo Soluções (PE)

Dia 22, às 20h

Teatro Barreto Júnior

Constituído por três peças, “Coisas que acontecem no Quintal”, “Triz” e “Aparecida”, o espetáculo é baseado em histórias reais de violências contra a mulher, denunciando o feminicídio e as diversas formas de violência que vitimam mulheres de diferentes contextos sociais cotidianamente.

Concepção, texto e direção geral: Eric Valença

Elenco: Gheuza Senna (Aparecida); Nínive Caldas e Laís Vieira (Triz) e Tati Azevedo (Coisas que Acontecem no Quintal)

Projeto de luz e operação: Luciana Raposo

Assistência e direção de movimentos: Lili Rocha

Figurino: Marc Andrade e Carol Monteiro

Trilha sonora: Sonic Junior

Produção: Danilo Carias / Criativo Soluções

SENHOR VENTILADOR

Grupo Bagaceira (CE)

Dias 23 e 24, às 16h30

Teatro Barreto Júnior

A peça infantil do Grupo Bagaceira, de Fortaleza conta, somente com gestos, uma história sobre amizade, envelhecimento, apego e sobre o que pode e o que não pode ser descartado, num espetáculo poético e divertido.

Roteiro, direção e sonoplastia: Yuri Yamamoto

Elenco: Yuri Yamamoto e Ricardo Tabosa

Assistência de direção: Rafael Martins 

Cenário e figurino: Yuri Yamamoto

Iluminação: Tatiana Amorim

Produção: Rogério Mesquita

O AÇOUGUEIRO

Alexandre Guimarães Produções (PE) 

Dia 23, às 19h

Teatro Hermilo Borba Filho

O Açougueiro é uma história de amor no Sertão nordestino, mostrando o lado sombrio dos sentimentos humanos. Trata-se de um monólogo recifense que aborda temas como discriminação de gênero, intolerância e feminicídio, através de nove personagens interpretados pelo ator Alexandre Guimarães, que recorre a toadas, aboios e demais manifestações da cultura popular.

Texto e direção: Samuel Santos

Intérprete: Alexandre Guimarães

Figurino: Agrinez Melo

Preparação vocal: Nazaré Sodré

Maquiagem: Vinícius Vieira

Operação de luz: Nardônio Almeida

AUTO DA COMPADECIDA

Texto de Ariano Suassuna e montagem do Grupo Maria Cutia (MG)

Dias 23 e 24, às 20h

Teatro Santa Isabel

O espetáculo narra as aventuras picarescas de João Grilo e Chicó, que começam com o enterro e o testamento do cachorro do padeiro, acabando em uma epopeia milagrosa no Sertão, envolvendo o clero, o cangaço, Jesus, Maria e o Diabo.

Concepção e direção geral: Gabriel Villela 

Elenco: Leonardo Rocha, Hugo da Silva, Mariana Arruda, Dê Jota Torres, Malu Grossi, Marcelo Veronez e Polyana Horta

Direção musical: Babaya, Fernando Muzzi e Hugo da Silva

Cenário e figurino: Gabriel Villela

Pintura de arte: Rai Bento

Iluminação: Richard Zairae Pedro Paulino

Consultoria de sonorização: Vinícius Alves

ORDINÁRIOS

LaMínima Circo e Teatro (SP)

Dia 24, às 20h

Teatro Luiz Mendonça

Em algum lugar, três soldados formam um pelotão improvável. Diante da angústia da espera, esmeram-se em treinamentos, até finalmente receberem uma missão. Quanto mais avançam pelo território inimigo, ficam evidentes os segredos que um esconde do outro e o quanto são inadequados para o mundo da guerra.

Texto: Newton Moreno

Roteiro: Newton Moreno, Álvaro Assad e LaMínima.

Direção: Álvaro Assad

Elenco: Fernando Paz, Fernando Sampaio e Felipe Bregantim.

Direção musical: Marcelo Pellegrini

Iluminação: Marcel Alani

Figurino e visagismo: Carol Brada

Direção de produção: Luciana Lima

Produção executiva: Priscila Cha

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.