Defesa Civil interdita parte do Hospital Getúlio Vargas após estrondos

Os estrondos aconteceram na madrugada desta sexta-feira (29)

SAÚDE
Defesa Civil interdita parte do Hospital Getúlio Vargas após estrondos

Na área interditada há rachaduras e buracos no teto - Foto: Reprodução/TV Jornal

Pacientes que procuram desde cedo o Hospital Getúlio Vargas (HGV), no bairro do Cordeiro, estão com dificuldades para conseguir atendimento. O segundo andar do prédio, onde funciona o bloco cirúrgico precisou ser interditado. Uma equipe estava realizando uma cirurgia neurológica quando piso da sala de cirurgia tremeu e houve o barulho. Ao término do procedimento, os pacientes do centro cirúrgico e da recuperação foram transferidos para outros setores. A Defesa Civil foi acionada e interditou três blocos do hospital na madrugada desta sexta-feira (29).

Servidores ficaram apavorados e pacientes que estavam na sala de recuperação foram transferidos para outros setores. Além da Defesa Civil, equipes do Corpo de Bombeiros também foram acionadas e hoje pela manhã o atendimento em algumas especialidades foram suspensos. Além dos problemas desta madrugada, funcionários também relatam que existe rachaduras nas paredes, desníveis entre prédios e buracos no teto de gesso. 

Nota

Por meio de nota divulgada na tarde desta sexta-feira (29), a Secretaria de Saúde do Estado, informou que que a emergência, enfermarias e a maior parte do bloco cirúrgico e do ambulatório do Hospital Getúlio Vargas (HGV) estão funcionando normalmente. Após funcionários e pacientes relatarem ouvir um estalo no prédio, a Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe) realizou, na manhã desta sexta-feira (29/11), uma vistoria na unidade de saúde. Após detalhada avaliação por parte da equipe de engenharia constatou-se que não há quaisquer indícios de risco eminente na estrutura e, como forma de prevenção, o órgão isolou preventivamente o Bloco G3 do HGV, setor que engloba apenas 4, das 14 salas do Bloco Cirúrgico, o setor de laboratório da unidade e 8 consultórios dos 28, do ambulatório da unidade.

Além do isolamento preventivo e provisório, a equipe de Engenharia da Defesa Civil do Estado recomendou o escoramento dos pilares existentes entre a junta de dilatação do bloco G3 e o reforço na estrutura do pilar que já se encontrava escorado. Serviços que serão realizados pela Secretaria Estadual de Saúde a partir da próxima segunda-feira.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.