Esquema de sonegação e recepção de combustível roubado em postos da RMR é desarticulado

Ao todo, cinco postos de combustível foram interditados na Região Metropolitana do Recife

OPERAÇÃO RÉDITUS
Esquema de sonegação e recepção de combustível roubado em postos da RMR é desarticulado

Esquema teve início em um posto da bandeira Federal, em Paulista - Foto: Divulgação

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) apresentou detalhes da Operação Réditus que cumpriu mandados de prisão e busca e apreensão na Região Metropolitana do Recife em postos de combustível suspeitos de cometer sonegação de impostos e receptação de combustível roubado. Ao todo, cinco postos foram interditados.

Foram cumpridos três mandados de prisão e 15 de busca e apreensão. O trabalho foi cumprido pelo MPPE com apoio da Secretaria Estadual da Fazenda e das Polícias Civil e Militar. Quatro pessoas continuam foragidas.

Foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão
Foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão
Divulgação

As investigações apontam que o esquema começou num posto da bandeira Federal que fica na Avenida Carlos Gueiros Leite, em Paulista. A empresa sonegou R$ 6 milhões em impostos. A polícia procura o empresário Fernando Pessoa de Mello Neto, responsável pelo posto do Janga. Também estão foragidos Ivanoel Pereira da Silva; Iraquitã José de Oliveira Correia e Edvaldo Gonçalves dos Santos.

Foram presos na operação os empresários João Paulo Lira Pessoa de Mello Neto e Tarcísio Ferreira Dornellas Câmara. Um dos laranjas usados no esquema de sonegação, Daniel Nazário de Oliveira, também foi preso.

Quadrilha pode ter encomendado roubos de cargas 

Ainda segundo o Ministério Público, existe a suspeita de que a organização criminosa chegou a encomendar roubos de cargas, adulterar combustível, e praticar lavagem de dinheiro, como detalha o promotor Frederico Magalhães.

A estimativa da Secretaria Estadual da Fazenda é de que os débitos tributários dos postos envolvidos ultrapassem os R$ 7 milhões. Ainda de acordo com a pasta, as empresas investigadas já tinham sido alvo de diversas autuações por irregularidades fiscais. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.