Prefeito de Petrolina diz que recebeu ameaças de morte junto com o secretário vítima de atentado

'Nós recebemos ameaças, desde mensagens de texto até cartas assinadas com sangue. Tudo isso são formas de intimidação', disse Miguel Coelho

SECRETÁRIO DE MOBILIDADE
Prefeito de Petrolina diz que recebeu ameaças de morte junto com o secretário vítima de atentado

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), concedeu entrevista para esclarecer o atentado contra o secretário executivo de Mobilidade de Petrolina, José Carlos Alves - Foto: Reprodução/Rádio Jornal

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), concedeu entrevista coletiva para esclarecer os fatos que envolvem o atentado contra o secretário executivo da Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMMPLA), José Carlos Alves, ocorrido na manhã desta quarta-feira (11). O secretário foi alvejado por disparos de armas de fogo na porta de sua casa quando se preparava para sair com a filha. 

Segundo o prefeito, a tentativa de homicídio pode está associada às mudanças promovidas no setor de transporte público da cidade. "É muita coincidência isso acontecer logo nos 15 primeiros dias da nova concessão. Cabe a nós oferecermos todas essas informações para a polícia descobrir quem foi. Nós recebemos ameaças, desde mensagens de texto até cartas assinadas com sangue. Tudo isso são formas de intimidação. Não nos deixamos levar porque acreditamos que nenhum ser humano seria capaz de um ato tão vil, mas estávamos errados", relatou Miguel. Desde o dia 1º de dezembro entrou em vigor um novo sistema de ônibus, com tarifa mais barata e frota totalmente renovada.

Miguel também explicou o motivo de não ter alertado as autoridades sobre as ameaças sofridas."Não me sinto intimidado, e sim consternado. Isso nunca aconteceu em Petrolina e acontece logo na nossa gestão. Em reunião com Edilsão e José Carlos, nós tomamos a medida de não andar com segurança porque entendíamos que não passaria além das ameaças. Estamos abatidos, tristes pelo colega que está no hospital mas estamos confiantes de que vamos ajudar as investigações. Caso seja provado algum tipo de correlação, não seremos intimidados por bandidos", completou. Ainda de acordo com o prefeito, as famílias de José Carlos, do próprio prefeito e outros funcionários estão com segurança reforçada tanto pela Secretaria de Defesa Social, quanto pela Guarda Municipal da cidade.

A gestão municipal acionou o Governo do Estado, o Ministério Público e Polícia Federal para conseguir apoio nas investigações, identificar o autor dos disparos e possível mandante do crime.

"Falei com o governador Paulo Câmara, o secretário de Defesa Social, Antônio Pádua, e, desde então, toda equipe da Polícia Civil e Militar tem trabalho em parceria conosco. Com as informações que temos, esperamos que em breve o elemento autor do atentado seja identificado. Acionamos também a Polícia Federal para que na parte da inteligência, possa contribuir com todo aparato que tem disponível para elucidar o quanto antes este crime. Por fim, entramos em contato com o Ministério Público, porque eles tem acompanhado todo o processo de licitação do transporte público de Petrolina”, afirmou o prefeito em relação as investigações.

Estado de Saúde

José Carlos Alves foi socorrido e levado para o hospital da Unimed. De acordo com o último boletim médico, ele passou por cirurgia após ser alvo de quatro tiros, sendo um no tórax e três na crânio.

Dos três disparos, um atingiu a cabeça e a bala foi retirada com sucesso na cirurgia. José Carlos está se recuperando na Unidade de Terapia Intensiva e, segundo o prefeito, está consciente e se comunicando, mas deve passar ao menos uma semana se recuperando no hospital.

Confira  também a reportagem de Thaíse Rocha:

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.