TRANSPLANTE

Mutirão de transplante de córnea vai dar ‘nova visão’ a cerca de 30 pacientes


Atualmente, o Estado tem 188 pacientes esperando pelo procedimento para enxergar melhor

Publicado em 26/12/2019 às 16:00
Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
FOTO: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
Leitura:

A Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE) e o Serviço Oftalmológico de Pernambuco (Seope) realizam, nestas quinta-feira (26) e sexta-feira (27), um mutirão de transplante de córnea que vai beneficiar cerca de 30 pacientes em Pernambuco. A ação tem como objetivo garantir que esses pacientes que estão na fila de espera para um transplante possam iniciar o ano de 2020 enxergando melhor. No estado já foram realizados 720 transplantes de córnea em 2019. Desde 1995, ano de criação da CT-PE, já se somam mais de 12,4 mil transplantados de córnea.

Segundo a coordenadora da CT-PE, Noemy Gomes, atualmente o Estado tem aproximadamente 200 pacientes esperando pelo procedimento para enxergar melhor. "O número de pessoas em espera pode parecer alto, mas sabemos que continuamos tendo estrutura e o tecido para atender a todos em um curto período de tempo. Com isso, corremos para terminar o ano com bem menos pacientes na fila de espera", afirmou.

Ela também comenta a importância de declarar a família o desejo em ser um doador. “O transplante só pode ser feito porque uma família ela decidiu fazer a doação. Qualquer pessoa que falece entre 10 e 70 anos pode se tornar um doador de córnea contanto que essas pessoas deixem isso avisado para os familiares. Cada um de nós tem o direito de ser doador após o falecimento”, concluiu. No Brasil, para ser doador de órgãos e tecidos, não é necessário deixar nada escrito. Basta avisar a família. É ela quem autoriza a ação.

Córnea zero

Em 2019, Pernambuco manteve o status de córnea zero, sustentado desde 2017. Apesar das 200 pessoas esperando pelo transplante de córnea no Estado, o status significa que todo paciente que tem indicação para o procedimento e os exames necessários para ser inscrito na fila de espera faz a cirurgia em até 30 dias. As informações foram divulgadas pela CT-PE, que já realizou mais de 22 mil procedimentos.

Ouça a reportagem de Beatriz Albuquerque:


Mais Lidas