ALERTA

Secretaria de Saúde de PE investiga morte de saguis em Camaragibe


A Universidade Federal Rural de Pernambuco realizou necrópsias e enviou materiais dos saguis para o Laboratório Evandro Chagas, em Belém-PA

Publicado em 08/01/2020 às 10:43
Guga Matos/ Acervo JC Imagem
FOTO: Guga Matos/ Acervo JC Imagem
Leitura:

A Prefeitura de Camaragibe está investigando junto com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) a causa da morte de 14 saguis em um condomínio fechado no km 13,5, no bairro de Aldeia, em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife. Entre as hipóteses, está a infecção pelo vírus da febre amarela.

Segundo o diretor de Vigilância e Saúde de Camaragibe, Geraldo Vieira, as mortes dos saguis começaram a acontecer no dia 26 de dezembro do ano passado. Ele explica qual procedimento está sendo realizado para investigar a causa da morte dos animais. "Foram coletados materiais de apenas seis animais, que foram enviados pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Lá foram feitas necropsias nesses animais e encaminhados peças anatômicas como rim, fígado, baço, coração para o Instituto Evandro Chagas, em Belém-PA, que é o laboratório de referência para identificação do vírus. O laboratório vai identificar os arbovírus como a dengue, chikungunya, zika e febre amarela, além dos herpesvírus. Também vamos vai encaminhar o cérebro desses animais para fazer exame de raiva”, detalhou.

Cuidados

Geraldo alerta para os cuidados que a população devem tomar para evitar danos à saúde. "É importante que a população não pegue nesses animais, não brinquem com os saguis. Qualquer animal que esteja doente ou morto, deve ser informado a Secretaria Estadual ou Municipal de Saúde para que a gente recolha, porque só pode ser recolhido por um médico veterinário”, apontou.

Febre amarela

Ele também descartou, inicialmente, a volta da febre amarela e pediu que a população não crie pânico. “Orientamos a população que tenham calma. Não temos a doença instalada no município. É uma doença que não existe a mais de 80 anos e a gente precisa estudar melhor. Estamos capturando os mosquitos para analisar se tem vetores por aqui e orientando a população, os condomínios, os agentes de endemias e a brigada ambiental, além da Secretaria de Meio Ambiente de Camaragibe", garantiu.

Ainda de acordo com o diretor, apesar de existir a hipótese, a possibilidade de um envenenamento dos saguis está praticamente descartada. Já o resultado deve ser emitido pelo Laboratório Evandro Chagas em até 15 dias.

Ouça o flash de Juliana Oliveira:


Mais Lidas