Metrô do Recife tem estações fechadas por problemas de funcionamento

Por volta das 6h, Linha Sul voltou a funcionar, mas estações da Linha Centro sequer abriram

FALHA
Metrô do Recife tem estações fechadas por problemas de funcionamento

Portas do Metrô do Recife amanheceram fechadas - Foto: Bruno Campos/JC Imagem

JC Online

A manhã desta quarta-feira (15) foi de transtorno para os cerca de 400 mil passageiros que utilizam os dois ramais do metrô do Recife. Isso porque um problema nos fios na altura da estação Joana Bezerra do sistema fez com que a circulação de trens parasse completamente nas linhas Centro e Sul. Na Linha Sul, as composições voltaram a funcionar por volta das 6h. Ainda não há previsão para que o sistema seja normalizado.

Segundo os funcionários do metrô, o que teria causado a paralisação do sistema foi um problema na rede aérea. Os passageiros que chegaram nas estações as encontraram fechadas e terão que recorrer aos ônibus para se locomover. "A qualidade está horrível. Péssimas condições. É metrô sujo e a gente vem trabalhar e a linha está quebrada. Não tem segurança, vários assaltos dentro dos trens, das plataformas e está este caos. Só aumento de passagem sem a gente ter segurança nenhuma, nem conforto", conta a usuária Gláucia, que saiu da casa às 5h para chegar às 7h no trabalho, mas encontrou as portas da estações fechadas.

Aumento de passagem

O penúltimo aumento escalonado na passagem do metrô do Recife aconteceu no último domingo (5). Com a tarifa custando R$ 3,40 desde o dia 3 de novembro, os usuários têm que desembolsar R$ 3,70 para acessar as plataformas. O último reajuste ocorrerá no dia 7 de março deste ano, quando o bilhete terá o valor de R$ 4,00. Os sucessivos aumentos acontecem desde maio de 2019.

Em maio, a passagem, que custava R$ 1,60, passou para R$ 2,10. O segundo reajuste ocorreu em julho, e o valor foi para R$ 2,60. Em setembro, mais um aumento e o bilhete chegou a R$ 3. Já em novembro, chegou a R$ 3,40. O reajuste gradativo da tarifa foi autorizado pela juíza Maria Edna Fagundes Veloso, titular da 15ª Vara Federal Cível. Na época do anúncio do aumento, o então superintendente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Leonardo Villar Beltrão, alegou que a medida evitará a paralisação do sistema por falta de recursos financeiros.

Veja os aumentos pelos quais a passagem do metrô passou e passará:

- 5 de maio de 2019 - R$ 2,10

- 7 de julho de 2019 - R$ 2,60

- 8 de setembro de 2019 - R$ 3,00

- 3 de novembro de 2019 - R$ 3,40

- 5 de janeiro de 2020 - R$ 3,70

- 7 de março de 2020 - R$ 4,00

Problemas constantes

Enquanto a passagem aumenta, os usuários do metrô do Recife lidam diariamente com interrupções no sistema. No dia 19 de dezembro, por exemplo, uma falha da rede área afetou o funcionamento do Ramal Jaboatão da linha Centro. O problema fez com que as estações Cavaleiro, Floriano, Engenho Velho e Jaboatão fossem fechadas por um tempo. No dia 16 de dezembro, um problema em um trem entre as estações Recife e Joana Bezerra atrasou as viagens da linha Sul, afetando, além das duas estações, a Largo da Paz e a Imbiribeira.

Também no mês passado, um vídeo mostrando quatro crianças do sexo masculino penduradas na dianteira de um metrô circulou nas redes sociais. Na gravação, feita no dia 17 de dezembro, o trem entra em movimento com os meninos ainda se segurando nas ferragens. À época, a CBTU informou que os meninos já haviam sido encaminhados para o Conselho Tutelar em outra situação.

A Companhia ainda relatou que as crianças não possuem documentos e que não foi possível identificar os responsáveis. Em dezembro, o metrô do Recife ainda registrou uma morte por atropelamento, na linha Diesel. Um adolescente foi atingido por um trem nas imediações da estação Ângelo de Souza, em Jardim Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife.

De acordo com a vizinhança, o menino morava na comunidade Coquinho, em Cajueiro Seco, e havia ido ao local com um amigo, sem avisar à mãe. Ele estaria tirando frutos de um cajueiro às margens da ferrovia quando foi atropelado. Moradores do local reclamam da falta de segurança para atravessar a linha férrea e ter acesso à rodovia BR-101.

Privatização

O governo autorizou o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a contratar estudos para estruturação da concessão do serviço de transporte ferroviário de passageiros no Grande Recife e outras quatro cidades atendidas pela CBTU. A resolução, de dezembro de 2019, prevê a contratação dos estudos no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Esta foi mais uma etapa do caminho para a concessão do serviço à iniciativa privada. A CBTU, além do Recife, atua também em Belo Horizonte, João Pessoa, Natal e Maceió.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.