Ministério da Saúde alerta para risco de surto de dengue em Pernambuco

Os casos de dengue em Pernambuco tiveram um aumento de 170% em 2019 em relação ao ano de 2018

ARBOVIROSE
Ministério da Saúde alerta para risco de surto de dengue em Pernambuco

Ações de combate ao Aedes aegypti são de atribuição das prefeituras - Foto: Divulgação/Fiocruz

De acordo com o alerta que foi feito pelo Ministério da Saúde, todos os estados do Nordeste e os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, na região Sudeste do país, podem enfrentar um surto de dengue a partir de março deste ano.

Aqui em Pernambuco, foram registrados, foram registrados 20.448 casos confirmados da doença e doze mortes associadas à dengue, somente em 2019. Em comparação com o ano de 2018, os números representam um aumento de 170%. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Segundo Claudenice Pontes, gerente de vigilância das arboviroses da SES, todos os municípios, no início do ano, fazem um levantamento de índice rápido (Lira). A partir desse levantamento, a secretaria faz um diagnóstico de situação de risco em Pernambuco. 

De acordo com a gerente, as ações para controle do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue, são de responsabilidade dos municípios. “Cabe ao estado fazer um monitoramento de todas as ações que são executadas. Mas a gente teve uma preocupação de ter informações mais rápidas e o estado investiu em tecnologia. Atualmente, a gente está investindo numa distribuição de smartphone para os agentes de endemias. Eles vão registrar toda a situação de diagnóstico ambiental de cada imóvel para que o município tenha uma situação mais rápida, em tempo real, de como está cada imóvel e assim avaliar em tempo oportuno”, disse.

Orientações para a população

A gerente lembra que se todos não se engajarem na luta, não é possível fazer o controle do mosquito. “O alerta serve para o Nordeste principalmente pela situação climática. A gente tem clima ambiental que favorece muito a proliferação do mosquito. A gente tem que ter muito cuidado”, explicou. “Temos a particularidade de ter locais que têm intermitência de água, falta de água e a necessidade de armazenar. Então, se armazenar a água, fazer adequadamente, vedar direitinho para que os mosquitos não proliferem. Ao mesmo tempo, com essa situação quente, seguida de chuva, a gente pode ter alguns depósitos esquecidos no jardim, quintas e que podem acumular água. Essa atenção tem que ser redobrada”, completou.  

Para denunciar focos de dengue, existe uma ouvidoria da SES que atende no telefone é o 0800.286.2828. A partir daí a secretaria de saúde daquele munício é acionada para combater o foco.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.