Enem 2019: Em vídeo, ministro da Educação admite inconsistência no gabarito de provas

Segundo ministro da Educação, Abraham Weintraub, até segunda-feira (20) tudo será resolvido

PROVAS
Enem 2019: Em vídeo, ministro da Educação admite inconsistência no gabarito de provas

Presidente do Inep, Alexandre Lopes, e o ministro da Educação, Abraham Weintraub - Foto: Reprodução/Twitter

Em um vídeo divulgado no Twitter, neste sábado (18), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, admitiu que houve inconsistência no gabarito de algumas provas do Enem 2019. Segundo ele, o problema surpreendeu alguns candidatos que tiveram suas notas afetadas.

O número exato de participantes prejudicados não foi revelado e, segundo o ministro da Educação, até segunda-feira (20) tudo será resolvido. “Estamos falando de alguma coisa como 0,1% das pessoas que fizeram, dos milhões [que prestaram a prova]”, admitiu Abraham.

Segundo o Inep, 3.935.237 pessoas fizeram o Enem 2019 em 3 e 10 de novembro – 72,81% dos 5.095.388 inscritos.

O MEC pediu desculpas aos participantes do Enem pelo “susto”. “Não pode haver uma injustiça como essa. A gente está corrigindo e até segunda-feira tudo resolvido. Ninguém será prejudicado. Tenho certeza, que se tiver qualquer dúvida, podem nos contatar”, disse Abraham Weintraub. “Peço desculpas a você que levou um susto”, completou.

E-mail para atender os participantes

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, que também participou do vídeo, garantiu suporte aos candidatos do Enem 2019 que se sentirem prejudicados. “Já estamos fazendo uma busca ampliada para identificar eventuais outras inconsistências. Quem se sentir prejudicado, quem tiver dúvidas sobre a sua nota, nós criamos um e-mail específico [para atender os participantes]”, afirmou.

O e-mail repassado pelo Inep foi o enem2019@inep.gov.br. Segundo o presidente do Inep, basta o participante enviar o nome completo e o CPF e será feita a avaliação manual da prova.

Confira o vídeo:

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.