CRIME

Polícia prende suspeitos de matar e enterrar grávida em mangue na RMR


A organização criminosa é acusada de feminicídio, ocultação de cadáver, ameaça e associação para o tráfico de drogas

Publicado em 30/01/2020 às 10:56
Foto: Reprodução/ Internet
FOTO: Foto: Reprodução/ Internet
Leitura:

A Polícia Civil de Pernambuco cumpre, na manhã desta quinta-feira (30), a operação denominada ‘Sweet River’. A ação tem como objetivo desarticular uma organização criminosa voltada para os crimes de feminicídio, ocultação de cadáver, ameaça e associação para o tráfico de drogas. Na operação são cumpridos 12 mandados de prisão e seis mandados de busca e apreensão.

O delegado responsável pela operação, Guilherme Caraciolo, explica que a investigação surgiu após a suspeita que a organização criminosa tenha matado uma mulher grávida e ocultado o corpo numa área de mangue entre os municípios de Olinda e Paulista, no Grande Recife. “O alvo principal da operação responde a mais de 19 processos criminais, entre homicídios, tráfico e roubo. Esse homem determinou a execução da vítima por ela estar grávida e ele ser o pai da criança. O crime aconteceu no dia 11 de abril de 2018. O corpo até hoje não foi encontrado. Apesar da dificuldade, ainda estamos diligenciando para tentar encontrar esse corpo, tendo em vista que o corpo foi ocultado em um mangue, numa área de difícil acesso e bastante vasta entre Rio Doce e Paulista”, detalhou.

Segundo o delegado, dos 12 mandados de prisão, cinco estão sendo cumpridos em unidades prisionais e sete são cumpridos no Recife, Olinda, Paulista e Camaragibe. “São várias pessoas, entre homens e mulheres, envolvidas nesse crime, tanto na execução, quanto na participação do tráfico de drogas. Todas elas foram identificadas e estão sendo indiciadas também. Dos sete mandados, quatro já foram cumpridos e três ainda em diligências tentando até o final do dia cumprir esses mandados. Dos que estão foragidos, são duas mulheres e um homem”, afirmou Caraciolo.

Os alvos da operação serão indiciados pelo crime de feminicídio, ameaça, ocultação de cadáver e associação para o tráfico de drogas. Os homens serão encaminhados para o Cotel, enquanto as mulheres irão para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor.

Ouça a reportagem de Juliana Oliveira:


Mais Lidas