Apreensão

Mulher é presa com 10 kg de cocaína no Aeroporto do Recife


Ela veio da cidade de Rio Branco, no Acre, com o objetivo de trazer a droga para Pernambuco

Priscila Miranda
Priscila Miranda
Publicado em 31/01/2020 às 7:51
Edmar Melo/Acervo JC Imagem
FOTO: Edmar Melo/Acervo JC Imagem
Leitura:

A Polícia Federal apreendeu nove pacotes embalados em fita adesiva pesando cerca de 10 kg de cocaína em pasta, além de documentos e um aparelho celular no Aeroporto Internacional dos Guararapes.

O material estava com uma mulher de 20 anos, natural do estado do Acre. Giovani Santoro, chefe de comunicação da Polícia Federal, explica a prisão.

“É um trabalho de rotina que a Polícia Federal desenvolve no Aeroporto dos Guararapes visando combater o tráfico Internacional e também interestadual. Quando passamos algumas malas pelo aparelho de raio x percebemos que numa delas tinha vários tabletes orgânicos de forma suspeita. Quando isso acontece, a gente se localiza o proprietário e abre a mala da pessoa. Foi isso que aconteceu. Essa senhora começou a se contradizer e quando os policiais começaram a fazer perguntas para ela, abrimos a mala e foi nós encontramos os nove tabletes de pasta base de cocaína que totalizou 10 kg.”

O objetivo era trazer a droga para a capital pernambucana. “Ela disse que veio do Rio Branco, no Acre, aliciada por uma mulher e a intenção dela era trazer essa cocaína aqui para o Recife e ficar hospedada num hotel em Boa Viagem. Uma pessoa, que ela não sabe quem é, iria fazer contato por telefone celular, para que ela pudesse entregar essa droga para ele. Essa droga ia ficar aqui em Pernambuco e, por esse serviço de transporte, ela ia ganhar aproximadamente R$ 5 mil.”

A mulher já tinha passagem pela polícia, tendo sido por furto e também quando ela tentou entrar com alguns objetos usando uma identificação falsa em um presídio do Acre. Essa já é a segunda mulher somente esse ano que a Polícia Federal prende no Aeroporto do Recife transportando droga vindo de Rio Branco, no Acre. Ela vai responder por tráfico interestadual de entorpecentes e pode pegar pena de 5 a 20 anos de reclusão.

Confira a reportagem de Mônica Ermírio:


Mais Lidas