CENSURA

Cannibal denuncia censura da PM durante apresentação no polo Várzea


Segundo o vocalista da banda Devotos, a polícia ameaçou encerrar o show após cantarem a música “Banditismo por uma questão de classe”, de Chico Science

Publicado em 27/02/2020 às 16:36
Foto: Divulgação
FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

Algumas bandas que foram contratadas para se apresentar no Carnaval de Olinda e Recife denunciam que foram reprimidas pela Polícia Militar de Pernambuco (PM-PE) por tocarem a música “Banditismo por uma questão de classe”, do cantor Chico Science. Em entrevista ao programa Rádio Livre desta quinta-feira (27), Cannibal, que é vocalista e baixista da banda Devotos, relatou que o grupo sofreu censura durante apresentação no polo da Várzea, na terça-feira (25). Um trecho da música diz: "Em cada morro uma história diferente, que a polícia mata gente inocente", fazendo menção às ações truculentas e ostensivas por parte da polícia . Após tocarem a música , a PM alertou que encerraria o show caso o grupo continuassem com aquelas canções.

“Nunca tivemos nenhum problema com isso. É a primeira vez que alguém chega para mandar a gente parar o show por causa de uma letra. Isso é preocupante. Não teve uma truculência física. Ninguém foi no camarim ostensivamente. Mas a nossa prisão foi mental, porque a gente fica preocupado com o futuro. Como a gente faz arte, música para o povo e para a sociedade, nos preocupamos muito porque as pessoas tem que saber do seus deveres e dos seus direitos”, afirmou Cannibal.

Segundo o vocalista, a censura da polícia impede a livre expressão das bandas que se caracterizam por realizarem críticas sociais em seus shows. “Isso vai de uma coisa que está acontecendo hoje em dia, onde você não consegue se expressar. Se impor e falar do que está acontecendo incomoda algumas pessoas. Como aconteceu em vários shows, eu tenho para mim que foi uma situação orquestrada. Isso causa uma certa preocupação, porque chegou na cultura, vai chegar nas artes plásticas, no teatro, em todo canto, como foi na época da ditadura militar. Ninguém quer voltar para uma época dessa. A gente precisa de expressão, de liberdade, para poder reivindicar os nossos deveres e nossos direitos", disparou.

Resposta da PM

Em nota, a Polícia Militar afirmou que “não há qualquer tipo de proibição à exibição de nenhuma música durante o Carnaval ou em qualquer época do ano. O efetivo somente orienta a suspensão de blocos que tenham estourado o tempo previsto para o desfile, por causa do planejamento operacional, que provoca o recolhimento da tropa após dispersão dos foliões. Deixar que a festa prossiga sem a presença de policiais colocaria em risco a segurança de todos. Os organizadores das agremiações que acreditem ter havido algum abuso deve procurar o batalhão responsável ou mesmo a corregedoria geral, para formalizar uma queixa e possibilitar uma detalhada apuração de todos os fatos”.

Ouça a entrevista na íntegra:


Mais Lidas