Projeto busca dar oportunidade de emprego para mulheres vítimas de violência doméstica

A ideia é ajudar aquelas mulheres que são vítimas de violência doméstica, mas que não conseguem deixar o agressor por conta da dependência financeira

INDEPENDÊNCIA
Projeto busca dar oportunidade de emprego para mulheres vítimas de violência doméstica

O programa tem como principal objetivo a promoção de políticas públicas que viabilizem a independência financeira das mulheres - Foto: Reprodução Internet

Oferecer oportunidade de trabalho e geração de renda por meio do empreendedorismo como medida de prevenção e combate à violência contra a mulher. Essa é a proposta geral do projeto Tua Vez. Nesta terça-feira (10), foi realizada a assinatura do acordo de cooperação técnica na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

A deputada delegada Gleide Ângelo vai coordenar o Projeto que reúne Secretaria do Trabalho do Estado, o Instituto Maria da Penha, SDS/ Polícia Civil, Sec Mulher do Recife/ Centro Clarisse Lispector e empresas diversas que vão ser captadas para empregar as mulheres vítimas de violência. “A gente sabe que tem muita mulher que não consegue deixar o agressor porque ela não tem como se sustentar e sustentar os seus filhos. Elas se mantêm até os filhos crescerem e nesse intervalo ela morre”, alertou a deputada Gleide Ângelo.

Independência financeira 

O programa tem como principal objetivo a promoção de políticas públicas que viabilizem a independência financeira das mulheres em situação de violência doméstica e com medida protetiva residentes no Recife. O projeto aponta a oportunidade de trabalho e a geração de renda por meio do empreendedorismo como as mais eficazes medidas de prevenção e combate à violência contra a mulher.

De acordo com a parlamentar, o plano piloto do projeto será aplicado no Recife e a ideia é estender para outros municípios. “A porta de entrada será a delegacia. As mulheres que registrarem B.O. na Delegacia de Santo Amaro, no Recife, tem um questionário e elas serão selecionadas na própria delegacia pelo perfil”, disse.

Segundo a deputada, a mulher precisa informar que não consegue deixar o agressor porque não tem como se sustentar. “Essas mulheres serão encaminhadas para o Centro de Referência Clarisse Lispector, onde vai ser feito o parecer psicossocial dessa mulher e a partir daí encaminha para o Instituto Maria da Penha”, detalhou, acrescentando que o instituto irá capacitar a vítima para o mercado de trabalho.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.