ALERTA

Pânico só piora a situação, alerta psicólogo sobre coronavírus


Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil tem 98 casos confirmados do novo coronavírus

Por Ísis Lima
Por Ísis Lima
Publicado em 13/03/2020 às 16:49
Fernando Frazão/Agência Brasil
FOTO: Fernando Frazão/Agência Brasil
Leitura:

O crescimento dos casos de coronavírus no Brasil tem gerado medo na população. O psicólogo Miguel Gomes orienta que buscar informações oficiais dos serviços de saúde é o melhor caminho para enfrentar o pânico generalizado.

Segundo a última atualização do Ministério da Saúde, feita na tarde desta sexta-feira (13), são 98 casos confirmados do novo coronavírus no país e 1.485 suspeitos.

“Procurar aquilo que o Ministério da Saúde tem difundido e o que as Secretarias de Saúde de Pernambuco e do Recife têm colocado como diretriz para a gente impedir o pânico em relação ao coronavírus. Embora se trate de um quadro que exige cuidados e uma série de intervenção, o pânico só piora a situação”, destacou o psicólogo.

O psicólogo lembrou que o cancelamento de eventos e a suspensão de serviços não estão relacionados à gravidade do problema, mas sim à velocidade com que o vírus tem se propagado.

Para Miguel Gomes, a facilidade com que as pessoas têm tido acesso às informações, via tecnologia, facilita essa sensação de pânico. “Sem dúvida que a velocidade da disseminação das informações e das informações equivocadas aumenta essa sensação de pânico e gravidade da doença. Por isso que é preciso a gente ter cuidado e estar atento ao que é informação oficial”, comentou. “É preciso que a gente tenha esse discernimento para não sair atendendo a tudo que é coisa que sai no celular como se fosse verdade (...) É preciso verificar essas notícias”, completou.

Ouça a entrevista completa:

O que é coronavírus? (COVID-19)

Produção de kits começou esta semana, após primeiros casos da doença
O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China
Reuters

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Sintomas

Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias.

Os principais são sintomas conhecidos até o momento são:

  • Febre
  • Tosse
  • Dificuldade para respirar

Transmissão do vírus

As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por gotículas respiratórias ou contato, está ocorrendo.

Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1m) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção.

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • Gotículas de saliva
  • Espirro
  • Tosse
  • Catarro
  • Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos

Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe.

O período médio de incubação por coronavírus é de 5 dias, com intervalos que chegam a 12 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

Prevenção

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes
  • Ficar em casa quando estiver doente
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência

Tratamento

Não existe tratamento específico para infecções causadas por coronavírus humano. No caso do coronavírus é indicado repouso e consumo de bastante água, além de algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas, conforme cada caso, como, por exemplo:

  • Uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos)
  • Uso de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garanta e tosse

Mais Lidas