Saiba como limpar o celular para se proteger do coronavírus

Aparelho pode ser fonte de transmissão do vírus e muitas pessoas esquecem de higienizá-lo

A GENTE EXPLICA
Saiba como limpar o celular para se proteger do coronavírus

Celular também precisa ser higienizado - Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Lavar as mãos regularmente e usar álcool em gel são algumas medidas que todo mundo já está ciente para se proteger do novo coronavírus no dia a dia.

Outra recomendação é se alimentar bem para fortalecer a imunidade. Mas se você continua indo para o trabalho e saindo de casa para resolver assuntos importantes vai ter contado com outras pessoas, vai acabar usando alguns objetos de uso coletivo e provavelmente vai seguir usando o transporte público.

E o mais comum de todos os atos: o uso do celular. É quase impossível viver sem o aparelho e poucas pessoas sabem ou lembrar que é preciso higienizá-lo.

O celular pode ser, sim, um meio de transmissão já que usamos os aparelhos com frequência depois que tocamos objetos como corrimãos e maçanetas.

Leia também: Azul anuncia suspensão de vários voos internacionais por causa do coronavírus

Argentina fecha fronteiras por 15 dias para combater coronavírus

Para higienizar o seu celular, você deve ficar atento ao tipo de álcool que vai usar: é importante não confundir o álcool isopropílico com concentração de 70% citado nas novas orientações – indicado para eletrônicos – com o álcool 70% adotado em empresas e repartições públicas – indicado para as mãos.

O álcool isopropílico com concentração de 70% é vendido em lojas dedicadas a materiais de informática e escritório. São duas apresentações: garrafa plástica ou lenços umedecidos.

Por causa disso, o uso de alguns produtos químicos, como cloro, água sanitária ou álcool líquido com alta concentração, podem danificar a tela do smartphone.

A orientação é que você limpe o seu celular assim: desligue o aparelho. É também necessário retirar a capa e desconectar cabos e acessórios.

Use álcool isopropílico com concentração 70%, como a gente já orientou.

Ele é conhecido por quem trabalha com manutenção de eletrônicos porque sua composição tem pouca água, o que impede a oxidação das peças.

Não é recomendável jogar o produto direto sobre o aparelho ou submergir o smartphone.

O ideal é colocar o produto em um pano apropriado.

Use somente panos macios, que não soltem fiapos: evite toalhas, lenços abrasivos, papel-toalha e itens parecidos.

A recomendação é usar um pano de microfibra, como os usados para limpar câmeras fotográficas.

Limpe a capinha do celular

As capas de proteção são notórias por acumular sujeira.  Se elas forem feitas de plástico, silicone, ou algum material semelhante, é possível usar água e sabão e deixar secar.

Outros materiais, como couro, devem ser limpos com produtos apropriados. E tem também o que você não deve fazer. Não coloque nem borrife o aparelho com líquidos: mesmo o álcool, que evapora rapidamente, pode danificar partes sensíveis do aparelho, como as entradas de energia, de fone de ouvido ou os alto-falantes. Não limpe o dispositivo enquanto ele estiver conectado à energia elétrica. Umidade e energia elétrica não combinam e é bom evitar riscos.

Essas orientações valem ainda para tablets e computadores com telas sensíveis ao toque.

Em tempos de coronavírus, limpar os celulares é tão importante quanto lavar as mãos. Sem querer, costumamos compartilhar o próprio telefone e segurar o de alguém conhecido várias vezes ao dia para ver e mostrar determinado conteúdo, ouvir um áudio ou fazer uma ligação de emergência, por exemplo.

E vale sempre lembrar: para lavar as mãos, há todo um ritual: é preciso higienizar as duas palmas, os dorso, os dedos, a região entre os dedos e os punho.