CALAMIDADE

Municípios do Sertão de Pernambuco tentam se reorganizar após fortes chuvas


As cidades mais castigadas pela chuva foram Afogados da Ingazeira e Serra Talhada

Publicado em 27/03/2020 às 11:51
Serra Informática/Divulgação
FOTO: Serra Informática/Divulgação
Leitura:

Depois de registrar muita chuva nos últimos dias, com estragos causados pela água nos municípios de Afogados da Ingazeira e Serra Talhada, o sol voltou a brilhar nesta sexta-feira (27), no Sertão do Pajeú. Na quinta-feira (26), a prefeitura de Serra Talhada decretou estado de calamidade pública após as chuvas que atingiram a região. Alguns moradores ficaram desabrigados e ilhados.

Serra Talhada

O Corpo de Bombeiros passou o dia no município e realizou cerca de 30 resgates em residências e pontos comerciais, por conta do isolamento que as pessoas ficaram durante o período de alagamento nas ruas de Serra Talhada. A situação voltou a ficar normal por volta das 18h, quando o nível do Rio Pajeú baixou totalmente e foi possível que os empresários e vendedores da feira livre pudessem entrar em seus comércios para contabilizar o prejuízo.

Na quarta-feira (25), a Defesa Civil do município emitiu um alerta falando sobre os riscos de inundação. No entanto, muita gente ignorou a notificação. A cidade foi invadida pelas águas do Rio Pajeú às 9h e o nível começou a aumentar bastante. Na madrugada, a situação estava bem complicada no centro comercial e nas periferias, que ficaram alagados. Com a calamidade, muitas pessoas precisaram sair de suas casas. O governo municipal está dando assistência às pessoas desabrigadas em uma estrutura que foi montada numa escola para receber as pessoas.

Afogados da Ingazeira

Entre terça e quarta-feira (25), o município de Afogados da Ingazeira, no Sertão de Pernambuco, também foi fortemente castigada pelas chuvas. A principal via de acesso à cidade, a PE-292, ficou totalmente danificada, além de estragos na zona rural do município. Já na quinta-feira (26), a Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos de Pernambuco (Seinfra) começou a trabalhar na recuperação da via.

Tabira

Existe ainda um risco de mais água no Rio Pajeú porque a barragem do município de Solidão, que fica entre as cidades de Afogados da Ingazeira e Tabira, corre o risco de desabar. Na quinta (26), a presidente da Câmara de Vereadores de Tabira, Nelly Sampaio, foi com um carro de som ao bairro Riacho do Gado alertar a população para saírem de suas casas e procurarem abrigo na casa de parentes.

A barragem de Solidão está com três buracos na parede e, caso ela rompa, o bairro de Riacho do Gado pode ser totalmente devastado. Procurado pela reportagem da Rádio Jornal, o prefeito de Solidão, Djalma Alves (PSB), reconheceu que existe um problema verificado, mas nada impede que o açude que foi construído pelo Governo do Estado rompa. Ele prometeu buscar organizar uma força-tarefa para melhorar a parede do reservatório e minimizar os riscos.


Mais Lidas