CORONAVÍRUS

Pernambucanos no exterior relatam dificuldades para retornar ao Brasil


O Ministério das Relações Exteriores estuda alternativas para trazer os brasileiros retidos no exterior

Publicado em 31/03/2020 às 16:19
Tomaz Silva/ Agência Brasil
FOTO: Tomaz Silva/ Agência Brasil
Leitura:

A rápida propagação e o estado de alerta no mundo todo, causados pela pandemia do novo coronavírus fez com que aeroportos cancelassem diversos voos internacionais. Por conta disso, milhares de brasileiros não conseguem voltar para casa. Segundo o levantamento do Ministério das Relações Exteriores, 8,6 mil brasileiros conseguiram voltar, porém, quase 7 mil ainda estão espalhados em diversas partes do mundo.

Relatos

Portugal

Entre os que conseguiram voltar, o analista de sistemas Creunides de Oliveira relata que teve sorte. Ele fez um cruzeiro de 12 dias com a família destino a Portugal, mas ao chegar no país, os passageiros tiveram que entrar em quarentena imediata. Durante o período isolado, Creunides ficou na casa de amigos até a agência de viagem que realizou a excursão dos brasileiros que estavam no Cruzeiro conseguir alugar uma aeronave para a volta ao Recife.

“O governo brasileiro decretou fechamento dos aeroportos. Então a gente ficou sem poder voltar para o Recife. Em negociação com o governo brasileiro e com Pernambuco, o aeroporto do Recife ficou a disposição para receber o nosso vôo”, relatou Creunides.

Peru

A personal trainer Eva Lílian também teve a sorte de voltar ao Recife, mas a situação dela e do marido Robert Charbel foi mais complicada. O casal embarcou para o Peru no dia 6 de março para passar férias e, no dia 15, as fronteiras foram fechadas. Eles não ficaram sabendo pois estavam em um passeio na cidade de Arequipa, lugar que não possui sinal de internet ou celular.

Os dois voltaram para o hotel e no dia seguinte foram abordados por um policial que pediu para que entrassem em um ônibus. De lá, foram levados a cidade mais próxima que era Cuzco. Depois de 9 dias com muitas dificuldades, o casal se juntou a um grupo de mais 230 brasileiros que fizeram um vídeo e postaram nas redes sociais. O vídeo teve uma grande repercussão e, com isso, as companhias aéreas entraram em acordo e trouxeram o grupo de brasileiros de volta.

“A gente ficava na incerteza, sem saber o que fazer. Meu grupo era de 230 brasileiros. Estávamos lá há 9 dias brigando para poder ter isso”, disse.

Bolívia

Já o engenheiro Paulo Leitão não conseguiu voltar ainda para o Brasil. Ele está há um mês na Bolívia com um grupo de brasileiros que foi a trabalho para o país. O engenheiro está preocupado e pede atenção das autoridades para voltar ao Brasil.

“Devido a toda essa problemática do coronavírus, nós não conseguimos voltar. As fronteiras internacionais foram fechadas e faço um apelo para que nos deem apoio para que possamos cumprir a quarentena e cada um dos respectivos brasileiros que estão na equipe poderem ficar junto da sua família para dar o apoio necessário. Já fizemos o registro formal na embaixada do Brasil aqui na Bolívia para que a gente consiga retornar”, falou

O Ministério das Relações Exteriores afirmou em nota que todos os casos de brasileiros retidos no exterior estão sendo considerados e a prioridade é dada sendo para que eles possam ser acomodados nos voos comerciais que ainda estejam em operação.


Mais Lidas