Saúde

“A gente não sabe quem tem ou quem não tem”, acredita médico sobre casos de coronavírus


Nefrologista entrevistado na Rádio Jornal acredita que há uma grande número de casos subnotificados de coronavírus no país

Priscila Miranda
Priscila Miranda
Publicado em 02/04/2020 às 10:55
Reprodução/FreePik
FOTO: Reprodução/FreePik
Leitura:

Em entrevista ao programa Passado a Limpo desta quinta-feira (2), o médico nefrologista Amaro Medeiros afirmou que acredita que há um número muito maior de pessoas infectadas com o novo coronavírus em todo o Brasil que não refletem a contagem oficial das secretarias de saúde municipais e estaduais e do Ministério da Saúde. A falta de testagem de pessoas assintomáticas seria o motivo do problema.

“Na realidade, o que eu acho que está acontecendo hoje, no Brasil como um todo, é subnotificação. Nós não estamos testando ninguém. Então, os números que a gente tem são dos doentes graves que a gente testou mas, fora isso, 80% dos pacientes são assintomáticos e a gente não sabe quem tem ou quem não tem. Esses números de Pernambuco e do Brasil não representam a realidade”, disse.

Leia também: Sobe para 8 o número de mortes confirmadas pelo novo coronavírus em PE

Coronavírus: caixões e corpos nas ruas assustam população do Equador

O médico reforçou ainda o cuidado com os grupos de risco, principalmente com pessoas mais velhas. "Os que os números mostram é que os pacientes com mais de 60 anos de idade morrem mais que os mais jovens e os mais de 60 anos com comorbidade, por exemplo, doença cardiológica e diabetes, morrem mais do que os de 60 que não tem."

Confira a entrevista na íntegra:

Sintomas do coronavírus

Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias.

Os principais são sintomas conhecidos até o momento são:

Febre
Tosse
Dificuldade para respirar

Transmissão do vírus

As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por gotículas respiratórias ou contato, está ocorrendo.

Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1m) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção.

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

Gotículas de saliva
Espirro
Tosse
Catarro
Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão
Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos
Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe.

O período médio de incubação por coronavírus é de 5 dias, com intervalos que chegam a 12 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.


Mais Lidas