Divergências

Bolsonaro diz que falta 'humildade' ao ministro da Saúde Mandetta

Em entrevista dada na quinta-feira, o presidente afirmou que os dois têm “se bicado há algum tempo”

Publicado em 03/04/2020 às 7:07
Reprodução / Internet
FOTO: Reprodução / Internet
Leitura:

O presidente da República Jair Bolsonaro, durante entrevista à rádio Jovem Pan na quinta-feira (3), resolveu expor a discordância que ocorre entre ele e o ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta na condução da crise da pandemia do novo coronavírus.

“Todo mundo já sabe que a gente está ‘se bicando’ há algum tempo. Eu não pretendo demiti-lo no meio da guerra. Agora, o Mandetta quer fazer muito a vontade dele. Pode ser que ele esteja certo, pode ser, mas está faltando um pouco mais de humildade para ele para conduzir o Brasil neste momento difícil que nos encontramos. Em alguns momentos, ele teria que ouvir um pouco mais o presidente da República”, disse Bolsonaro.

Leia também: “Coronavírus mata à vista, o desemprego a prazo”, diz economista sobre volta ao trabalho

Coronavírus: Bolsonaro sanciona auxílio de R$ 600 a trabalhadores informais

Em resposta ao comentário do presidente, a assessoria de comunicação do Ministério da Saúde informou que não vai se posicionar sobre o assunto. Ao jornal O Estado de S.Paulo, Luiz Henrique Mandetta afirmou que “não acha nada” e que “não acompanhou a fala do presidente e que “vai continuar trabalhando”.

As posições antagônicas entre Bolsonaro e Mandetta no combate à propagação da covid-19 no Brasil têm estremecido a relação entre os dois. Enquanto o presidente defende o isolamento vertical, quando apenas grupos de risco ficam em quarentena, o ministro da Saúde segue a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e defende o isolamento social total da população.

Outra divergência entre os dois é sobre o trabalho dos governadores. Enquanto Bolsonaro critica a atuação deles, Mandetta elogia bastante a postura dos líderes dos estados no combate à pandemia.

Mais Lidas