CONSUMO

Em tempos de pandemia, cuidado na compra do pescado da Semana Santa deve ser redobrado

A pandemia do coronavírus mudou alguns hábitos de higiene na hora de fazer compras

Ísis Lima
Ísis Lima
Publicado em 08/04/2020 às 16:25
Bruno Campos/ JC Imagem
FOTO: Bruno Campos/ JC Imagem
Leitura:

Em época de pandemia do coronavírus, os cuidados com higiene na hora de comprar e manusear o peixe para a Semana Santa devem ser ainda maiores. Nesta quarta-feira (8), o acesso ao Mercado da Encruzilhada, na zona norte do Recife, era controlada por equipes da Prefeitura do Recife.

A gerente da Vigilância Sanitária do Recife, Daniele Feitosa, dá orientações para a população e lembra que o primeiro cuidado é com relação à sacola utilizada para fazer o transporte do alimento. “Ao chegar em casa você vai desprezar essa sacola. Caso você queira reaproveitá-la, coloque numa solução sanitizante. Chegou em casa, tire a roupa, bote para lavar e faça a higiene corporal”, disse.

Ao adquirir o peixe, é importante também ver as condições do pescado. “Se ele apresentar o odor característico do peixe, se a carne está rígida, se os olhos estão brilhantes, se as guelras estão oferecendo resistência à abertura, se as escamas são translúcidas e estão aderidas à carne. O camarão, se a casca está aderida à carne, se a calda e a cabeça também estão aderidas. Se o camarão apresenta manchas você não deve consumir”, detalhou.

Medidas de segurança

A gerente pediu que a população absorva e respeite as medidas de segurança. “Ao chegar no estabelecimento, se tiver uma fila, dê um distanciamento de pelo menos 1,5 m. O ideal é que seja 2 metros. Ao tossir ou espirrar, colocar o cotovelo. O Ministério da Saúde orientou que a população em geral ela pode fazer o uso de suas máscaras caseiras, de tecido”, reforçou.

Mais Lidas